quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Mar de Ferro

Autor: George R. R. Martin
Editora: Edições Saída de Emergência
Número de páginas: 332

Quando Euron Greyjoy consegue ser escolhido como rei das Ilhas de Ferro não são só as ilhas que tremem. O Olho de Corvo tem o objectivo declarado de conquistar Westeros. E o seu povo parece acreditar nele. Mas será ele capaz?
Em Porto Real, Cersei enreda-se cada vez mais nas teias da corte. Desprovida do apoio da família, e rodeada por um concelho que ela própria considera incapaz, é ainda confrontada com a presença ameaçadora de uma nova corrente militante da Fé. Como se desenvencilhará de um tal enredo?
A guerra está prestes a terminar mas as terras fluviais continuam assoladas por bandos de salteadores. Apesar da morte do Jovem Lobo, Correrio ainda resiste ao poderio dos Lannister, e Jaime parte para conquistar o baluarte dos Tully. O mesmo Jaime que jurara solenemente a Catelyn Stark não voltar a pegar em armas contra os Tully ou os Stark. Mas todos sabem que o Regicida é um homem sem honra. Ou não será bem assim?

Último volume publicado (esperamos ansiosamente que Martin termime Dance with Dragons) é o mais pequeno e, na minha opinião um balde de água fria após a expectativa do anterior Festim dos Corvos. Neste Mar de Ferro as personagens menos sonantes (como Sam, Brienne, os Homens de Ferro ou as oriundas de Dorne) são aquelas que têm mais relevância neste volume. O que tira e, em muito, a essência da história. Se o volume anterior é um impasse este é de por os nervos em franja e bem podemos agradecer à Jaime, Cersei, Arya ou Sansa por aparecerem e dar um ar da sua graça (principalmente a rainha).
Mas não é por isso um volume menos importante. A descoberta da identidade da Senhora de Coração de Pedra como sendo a suposta falecida Catelyn Stark regressada dos mortos traz alguma promessa...mas apenas para a próxima. E também fica em suspense o destino de Cersei. Depois de parecer vencer os seus inimigos, os planos da "leoa" viram-se contra a própria ficando presa sobre as garras de uma força militante da Fé à quem ela deu poder. Sem ter ninguém que a salve, ela espera o regresso de Jaime...
Fica mais um pouco desvendado o mistério da profecia de que Cersei tem tanto medo e daquela que Melisandre diz anunciar que Stannis é o príncipe que fará regressar os dragões. Será? Ou será que a jovem bela que está destinada a terminar o reinado da irmã do Regicida é a Mãe de Dragões? Trará ela de volta os dragões a Westeros de livre vontade ou aprisionada pelos Homens de Ferro?
Fica para a próxima.
Tem claro o brilhantismo de Martin mas faltou algo. Pessoalmente não me importei com alguns acrescentos e desenvolvimentos mas hávia outros dispensáveis. Para além disso, faltou Jon, Danny, Tyrion, Bran e mais qualquer coisa. Ficou a expectativa que será um Dance with Dragons inesquecível!

P.S. Mr. Martin exijo um calhamaço com umas mil páginas e muita acção!

5/7

Sem comentários:

Enviar um comentário