sábado, 30 de julho de 2011

Opinião - A Rapariga do Capuz Vermelho

Autor: Sarah Blakley-Carwright
Editora: Editora Objectiva (Suma de letras)
Número de páginas: 240

Sinopse
O coração de Valerie está dividido. Os pais querem que ela case com Henry, o filho do ferreiro, um rapaz gentil. Mas Valerie está apaixonada por Peter, um jovem lenhador de espírito independente e misterioso. O mundo está contra eles, mas os dois jovens apaixonados não imaginam viver um sem o outro e estão dispostos a lutar por isso. Tudo muda quando a irmã mais velha de Valerie aparece morta. Suspeita-se do Lobo, uma criatura temível que assombra a floresta em redor da aldeia. É com horror que os habitantes da aldeia descobrem que durante o dia o Lobo assume forma humana e pode ser qualquer um deles. O perigo está à espreita e ninguém está a salvo. As vítimas do Lobo não param de aumentar e Valerie começa a suspeitar que o Lobo pode ser uma pessoa muito próxima de si. Ela é a única que consegue ouvir a voz da criatura. E a mensagem do Lobo é muito clara: se Valerie não se render antes de a lua de sangue desaparecer do céu, todos os que ela ama morrerão.

Opinião
Conhecem aquela sensação quando olham para a capa de um livro e pensam "uau! deve ser mesmo giro!" e compram-no cheios de expectativas, sem pensar duas ou três vezes, porque se apaixonaram pela capa e pela sinopse? Isto foi o que eu senti quando comprei este livro. Uma versão mais adulta do Capuchinho Vermelho que tinha ar de que estava mais do que fantástica e me ia proporcionar uns belos momentos de leitura. Foi uma desilusão tão grande, sinceramente, foi até o livro que mais me desiludiu. E foi um daqueles livros que me fez odiar a autora por aquilo que ela fez a uma história tão cheia de potencial!
Temos o cenário perfeito, os ingredientes certos, um elenco adequado, as bases para um livro de "arrepiar" estavam todas lá e nenhuma foi aproveitada. A autora perdeu-se no meio de toda a informação que lhe foi dada e não conseguiu pegar nela para criar um bom livro. E isso é o mais irritante, é que podia ser um bom livro!
Enquanto podia ter criado algo diferente baseado em algo que todos conhecemos, não, encontramos mais um Crepúsculo, diferente é certo, mas com demasiadas parecenças que me desagradaram. E aquilo que é menos compreensível é a forma como a autora quer tornar Valerie em mais uma Bella tonta. Valerie, Peter, qualquer um deles, tinha todo o potencial para se tornarem personagens construtivas, em constante evolução que podiam ter alterado toda a história mas em vez disso encontramos personagens "sem alma", diálogos perdidos e sem qualquer emoção e quando parece que ela vai alterar o rumo e a coisa vai melhorar, a acção regride e lá se vai a esperança.
Outro facto de se salientar é o da edição portuguesa não ter todos os capítulos do livro, vá-se lá saber porquê, faltando nada mais, nada menos do que dez capítulos (a contar com aquele que temos de vir ler à internet). Uma grande falha que impossibilita o leitor de conhecer toda a história e claro é sempre desagradável pagar um livro para depois descobrirmos que falta metade dele. Quero que tenham em atenção que me falta assim ler nove capítulos e pode ser que sejam mesmo esses os melhores de todo o livro, não sei mas também já perdi o entusiasmo para descobrir.

2/7 

Sem comentários:

Enviar um comentário