quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Opinião - Um Amor Quase Perfeito

 Título original: Private Arrangements
Autor: Sherry Thomas
Editora: Quinta Essência
Número de páginas: 332

Sinopse
Durante dez anos Camden e Gigi, Lorde e Lady Tremaine, tiveram o mais perfeito dos casamentos, baseado na cortesia, no respeito e… na distância. Um segredo, uma traição e um oceano separa-nos desde o dia seguinte ao seu enlace. Gigi vive na bela mansão londrina do casal, enquanto Camden se estabeleceu em Nova Iorque. Nenhum se mete na vida do outro. É uma combinação que não podia ser mais ideal e civilizada aos olhos da alta sociedade vitoriana, embora ninguém saiba o que aconteceu para acabar com o apaixonado amor que existia entre ambos.

Agora as coisas vão mudar. Gigi é uma mulher inteligente, sofisticada, rica e muito segura de si. Decidiu agarrar-se à sua última oportunidade de ser feliz e aceitar a proposta de casamento do seu pretendente, Lorde Frederick, um jovem pintor. Assim, escreve ao marido, enviando-lhe os papéis do divórcio. Mas em vez de devolvê-los assinados, Camden apresenta-se à porta da mansão de Londres para lhe oferecer um acordo: vai conceder-lhe o divórcio - afinal, já não se amam, não é? - mas antes Gigi deve dar-lhe um filho, um herdeiro. Se ela não aceitar, ele não lhe concede o divórcio. Gigi aceita, mas impõe um período de um ano. Um ano em que se acumulam as lembranças da paixão que outrora os uniu, um ano em que segredos são revelados, um ano em que o desejo volta mesmo contra vontade, e um ano em que ambos devem decidir se o casal mais admirado de Londres deve voltar a apaixonar-se... ou separar-se para sempre.

Opinião
Admito. Sou uma pessoa que à muito, perdeu a fé nos romances mais românticos. Não desisti deles mas não me fazem sentir como antes e, por isso, é raro arriscar comprar um romance ou ler um novo autor pois tenho medo de não ver a “verdadeira beleza” do livro. Só que, depois de muito ouvir falar acerca deste livro, das óptimas opiniões que li decidi arriscar. E posso dizer-vos que posso não ter redescoberto o encanto destes romances que nos fazem bater o coração mas apaixonei-me pela escrita de Sherry Thomas.
Qual amor à primeira vista, perdi-me na beleza e força da escrita desta autora, pelas suas personagens carismáticas, pela sua forma de nos contar esta história, onde o amor não é perfeito mas feito de batalhas e confiança, onde o “felizes para sempre” não é certo mas depende dos actos e pensamentos daqueles que o querem, onde são as imperfeições que destroem e reconstroem uma relação que perdeu toda a paixão e fé. E é através de um casal de protagonistas magnífico que Um Amor Quase Perfeito ganha o seu encanto. Gigi e Camden são tão distintos como água e azeite e formam juntos um conjunto de características tão belo que não há forma de não darem brilho a uma história já de si tão doce.
Adorei a intempestiva Lady Tremaine que bate em pontos muita protagonista feminina que para aí anda. Nada de timidez, medos e calma para a nossa Gigi. Ela é a mulher moderna lutadora e inteligente capaz de ultrapassar tudo (menos o Lorde Tremaine ao contrário do que ela pensa) e de lutar contra tudo e todos. Dona das melhores qualidades e dos piores defeitos, é a protagonista ideal para um romance como este, sobre perdão, luta e amor eterno.
Um dos melhores pormenores deste livro é não se centrar unicamente no casal protagonista mas dar-nos a conhecer outros personagens interessantes que me arrancaram umas boas gargalhadas, a constante mudança de cenários e aos poucos ser-nos contado os pormenores do passado de Gigi e Camden, sempre com um timing perfeito.
 A simplicidade e humanidade que constituem este romance dão-lhe a doçura suficiente para nos conquistar e, talvez, restituir o romantismo à mais alguém. 

6*

2 comentários:

  1. Também gostei muito deste. Gigi é muito carismática e Cadmen teimoso que nem uma "mula". Fartei-me de rir com eles!

    ResponderEliminar
  2. Olá Jojo!
    Realmente, muitas gargalhadas estes dois me arrancaram, e não só =)

    ResponderEliminar