segunda-feira, 12 de março de 2012

Opinião - Querido Inimigo

Título Original: Dear Enemy
Autor: Jean Webster
Editora: Biblok
Nº de Páginas: 191

Sinopse
 Sallie McBride, uma rapariga de boas famílias, converte-se sem querer na nova encarregada do orfanato rural John Grier, um cargo para o qual não está preparada... Presa no campo, sem mais companhia do que o político retirado e o médico que trata os órfãos, Sallie descobrirá que há uma vida para lá da alta sociedade de Nova Iorque, aprenderá a ser altruísta... e conhecerá o seu verdadeiro amor.

Opinião 
 Da família de Mark Twain, Jean Webster foi uma mulher activa que se envolveu na política, estudou economia e atendia aos mais diversos eventos sociais, acabando por passar as suas actividades e interesses para os seus livros. Defensora dos direitos das mulheres, é evidente em cada uma das suas personagens femininas os ideais em que acreditava.
Querido Inimigo não foi excepção e tal como o seu percursor Daddy Long-Legs atingiu o estatuto de bestseller, trazendo um pouco de bom senso e divertimento a um mundo em plena mudança.
Este foi o único livro que consegui da colecção de chick-lit que saiu numa revista, acho que o verão passado, com muita pena minha mas só me soube da colecção quando ela já estava a terminar.
Querido Inimigo é contado na forma de correspondência, melhor dizendo, são nos apresentadas as cartas que a protagonista envia para as restantes personagens e, é através destas que ficamos a conhecer a sua história e como esta se desenvolve. Este método acaba por criar confusão no leitor uma vez que apesar de a escrita de Sallie ser muito expressiva e descritiva, nunca nos é apresentado a perspectiva das outras personagens, apenas sabemos a versão da protagonista, o que torna a história estranha e irreal porque, a meu ver, é muito complicado perceber desta forma como é que as personagens se relacionam ou como se desenvolvem os sentimentos entre elas. Acho que para uma ideia destas teria sido bom haver um certo apego e mais conhecimento entre leitor e enredo geral.
Porque a verdade é que o livro é giro, divertido e leve para os espíritos mais necessitados. A forma extremamente “expansiva” com que Sallie nos vai relatando as suas aventuras permite-nos rir com ela e aceitar os seus desejos, pedidos mais loucos e acharmos que ela tem razão por mais exagerados e fúteis que possam ser.  Aliás, se não fosse a própria Sallie, a sua personalidade e desvairos este livro não era nada, ou pelo menos não teria o mesmo impacto. Tenho pena de não me ter identificado com o sistema “correio” porque sinto que se tivesse sido de outra forma este teria sido um dos livros mais divertidos que já li.
Também a sua história, tão pouco aprofundada, é uma das razões para nos fazer gostar desta leitura. Imaginem uma miss da alta sociedade encarregue de 111 criancinhas que ninguém sabe de onde vieram e que, segundo a sociedade e o bom doutor, já têm o destino traçado e não é dos melhores. E ela que é quase obrigada a aceitar o cargo passa a adorar os seus filhos emprestados. Momentos geniais de riso puro mas faltam pormenores porque há momentos enternecedores que se perdem pela rapidez com que se passam.
A outra coisa que não me convenceu foi aquele amor repentino entre Sallie e doutor. Fiquei a pensar se eles teriam batido os dois com a cabeça ou algo assim. É que não há indícios, ou pelo menos não daqueles que nos fazem compreender quem são os casais da trama, que estes dois iam acabar assim. Não é que eu não tivesse percebido à primeira mas assim do nada? E depois termina assim, abruptamente, quando eles se encontram nos braços um dou outro. Momento pelo qual eu não dei por nada.
Mas a que dar a mão à palmatória e quando um livro me faz rir como este merece ser elogiado, até porque este humor sarcástico do início do século XX é delicioso e mesmo feminino, e eu fiquei com pena de não haver mais e de não ter sido um pouco mais longo.
Isto podia parecer quase uma história de hoje (quase) e acho que quem quer passar umas poucas horas a descontrair, se o tiver em casa, que o agarre, sente-se e desfrute da Sallie.

4*

Sem comentários:

Enviar um comentário