sábado, 28 de abril de 2012

Opinião - Mansfield Park

Título Original: Mansfield Park
Autor: Jane Austen
Editora: Book.it
Número de Páginas: 448

Sinopse
 Mansfield Park é seguramente a obra mais controversa e menos amada pelos apreciadores da escrita de Jane Austen. O problema parece estar na personagem principal, a frágil, tímida e insegura Fanny Price, em tudo distinta das heroínas de Sensibilidade e Bom Senso, Orgulho e Preconceito, Persuasão ou Emma. Nascida no seio de uma família pobre, Fanny Price é levada com apenas 9 anos para Mansfield Park, a rica propriedade dos Bertrams. Infeliz e maltratada pelos tios e pelas duas primas, só no primo Edmund encontra afecto. Curiosamente, e ao contrário do que seria expetável da protagonista de um livro de Jane Austen, Fanny não se rebela contra os códigos e as condutas dominantes, acentuando o final feliz da narrativa a passividade da protagonista. Por estas e outras razões, Mansfield Park - publicado pela primeira vez em 1814, em três volumes - é um romance complexo e de alguma forma estranho para os leitores assíduos de Jane Austen.

Opinião 
 Jane Austen é uma das maiores romancistas do século XIX, senão mesmo de sempre. Os seus romances ainda hoje proliferam em fãs, são adaptados ao cinema e à televisão, ainda vendem milhares de cópias por todo o mundo. Criadora de personagens que se tornam exemplos ou desejos para os seus leitores, como o afamado Mr. Darcy, é através de uma perspectiva irónica que nos dá a conhecer o quadro social do seu tempo.
Com heroínas prontas a combater as injustas regras da sociedade, esta é uma das razões para o choque deste Mansfield Park. Diferente de todos os seus outros romances, este livro baralhou os seus leitores e deixou para muitos, uma desilusão. Para outros, foi uma surpresa inquestionável.
Eu considero-me uma fã de “primeiro ciclo” de Jane Austen. O Orgulho e Preconceito é um dos livros/filmes mais marcantes da minha vida e li Persuasão e detestei a Paltrow como Emma e é por isso que nem consigo pensar em ler o livro. Ando feita maluca para ler/ver o Sensibilidade e Bom Senso mas graças ao Clube de Leitura Bertrand da Jane Austen, no qual me inscrevi recentemente, foi este o próximo livro nos muitos que ainda tenho de ler desta senhora.
Realmente, a primeira coisa em que se nota neste livro é na “falta de sal” de Fanny Price, uma jovem muito bem comportada e ajuizada, que faz a vontade a todos e por todos é mal tratada, tirando o nosso protagonista, Edmund, outro excelente exemplo de comportamento. Comparados com os outros protagonistas de Jane, deixam realmente a desejar e não consegui sentir afinidade com eles, sendo que a dada altura, só conseguia pensar que eles eram tão aborrecidos que eu só queriam que eles não ficassem juntos e ganhassem um pouco mais de vida, o que aconteceu mas não chegou para me convencer.
O que estes protagonistas têm de chato, as outras personagens são um delírio em termos de caricaturas. Cada uma delas representa as falhas de uma sociedade altamente pudica, disfarçadas de qualidades, o que nos deixa estupefactos a olhar para a página. As críticas assentes a cada personagem, são apresentadas de uma forma tão doce e educada, tão disfarçada que não pudemos deixar de admirar a personalidade por trás das palavras. Miss Austen devia ser uma grande senhora e acho que teríamos uma conversa muito interessante se séculos não nos separassem.
Outra coisa que reparei, é que a ironia característica da autora, está muito mais saliente, não é subtil nem disfarçada, está ali a vista de todos para nos rirmos bem alto do quão ridículo certas situações chegam a ser e, no meu ver, foi o que salvou o livro. Gostei desta faceta menos trágica e romântica da autora, que me proporcionou uns bons momentos de divertimento à conta do belo humor inglês, das suas regras e hipocrisia.
No fim, o que me deixou insatisfeita, foi exactamente o fim. Muito rápido, pouco explicado após acontecimentos tão escandalosos, deixou um sabor amargo na boca, como se a própria escritora não estivesse para aturar mais ninguém. Um fim insonso para protagonistas insonsos.
Mesmo assim, não posso deixar de dizer que gostei realmente deste livro e que toda a paródia que se desenvolveu ao longo do enredo, cada momento em que o horror e a tragédia abatiam a pobre Fanny, me proporcionaram uma leitura maravilhosa.
Agora fico a pensar o que se seguirá e espero que todos tenham oportunidade de ver esta faceta de Jane Austen. Quem ainda não leu esta senhora, ainda vai a tempo, por isso, aproveitem!

6*

2 comentários:

  1. :D é uma senhora! Experimenta ler "A Abadia de Northanger". Também é muito irónico ;D

    ResponderEliminar
  2. É mesmo!=D
    Em princípio, é o próximo a ler ;)

    ResponderEliminar