quarta-feira, 11 de julho de 2012

Opinião - O Quarto Mágico

Título Original: The Sugar Queen
Autor: Sarah Addison Allen
Editora: Quinta Essência
Número de Páginas: 278

Sinopse
 Três mulheres inesquecíveis moram numa cidade especial onde tudo, ou quase tudo, pode acontecer: Josey, a viciada em doces, esconde um segredo no roupeiro; Della Lee, a fugitiva, tem uma costela de Némesis e duas de fada madrinha; e Chloe, a apaixonada pela leitura, é perseguida por livros.

Josey Cirrini tem a certeza de apenas três coisas na vida: o Inverno é a sua estação preferida; está perdidamente apaixonada pelo carteiro; e um doce sabe muito melhor quando degustado na privacidade do seu esconderijo secreto. Enfrentando uma vida entediante, o seu único consolo é a pilha de doces e romances a que se entrega todas as noites... Até que descobre que no roupeiro se esconde nada mais nada menos que Della Lee Baker, bondosa mas de língua afiada, com uma costela de Némesis e duas de fada madrinha.
Fugindo a uma vida de má sorte, Della Lee decide esconder-se no roupeiro de Josey. Em troca, irá mudar a vida da jovem. Com a ajuda de Della Lee, Josey em breve renunciará às guloseimas e descobrirá que, mesmo sem elas, a vida pode ser doce. Instada por Della Lee, Josey trava amizade com Chloe Finley, uma jovem que é perseguida por livros que surgem inexplicavelmente nos mais variados lugares e com uma resposta para tudo (ou quase). E, o melhor, tem uma relação próxima com a paixão de longa data de Josey…
À medida que Josey se atreve a sair da sua casca, descobre um mundo onde a cor vermelha tem um poder surpreendente, a paixão consegue estrelar ovos nas respectivas caixas e o amor pode surgir em qualquer altura — até mesmo para ela. E isso é só o início…

Terna e com um toque de magia, esta é uma história encantadora sobre a amizade e o amor — e sobre as surpreendentes e mágicas possibilidades que cada novo dia nos reserva.

Opinião 
 
Sarah Addison Allen tornou-se presença obrigatória nas minhas leituras num ápice. Depois de anos a fugir dos seus livros devido a má opinião de uma amiga, eis que após a leitura fulgurante de O Jardim Encantado, dou por mim com apenas um livro da autora por ler. Graças aos empréstimos e trocas, tenho três dos seus quatro livros publicados em Portugal lidos, sendo O Quarto Mágico, o último livro que li da autora.
Mágicos, doces e sensoriais, os livros de Sarah são autênticos contos de fadas modernos, onde valores mais altos como a amizade, a lealdade e o amor são protagonistas através de personagens únicas que cativam e nos fazem rir, deixando uma sensação de bem-estar enquanto caminhámos com elas pelos seus pequenos mundos encantadores.
Este era o livro que eu mais queria ler da escritora, havia algo nele que me puxava de uma maneira que os outros não faziam, não sei se devido ao título, a capa ou a sinopse, só sabia que tinha de o ler. O Quarto Mágico não difere de estilo dos outros livros e mantém o particularismo do encanto da escrita da autora mas cada história ou personagem pode tocar cada um de nós de uma forma diferente e este livro tocou-me de uma forma mais profunda do que os outros, tendo ganho o lugar de preferido ao lado de O Jardim Encantado.
A forma como a autora entrelaça a vida destas três raparigas tão diferentes e com particularidades tão únicas é, sem dúvida, pitoresca, encantadora e capaz de quebrar o coração mais duro. Cada uma a sua maneira conquista os leitores com as suas loucuras, ataques e receios, sendo impossível escolher uma preferida entre as três protagonistas femininas pois este trio foi conjurado como uma única unidade, encaixando na perfeição. O cuidado da autora ao idealizar estas três personagens encantadoras e transcendentes passou para as restantes que as acompanham ao longo deste livro, tornando esta história algo de muito especial, onde cada personagem tem algo para descobrir ou ganhar.
O facto de cada uma delas ter um rumo ou um segredo que as liga às outras personagens e que lhes permite criar laços é um dos factores chave deste livro. Estando todas as personagens ligadas entre si, há uma justificação para cada acção, por mais que pareça uma loucura e que ajuda a criar também um laço com o leitor. Por mais simples que sejam as suas histórias, a autora consegue sempre criar o lado misterioso, que ou não absorver a história, nos permite saboreá-la e apreciar muito mais o desvendar dos mistérios sem que eles controlem a história.
Sarah cria um enredo simples, mágico que permite sonhar por entre fugas a livros e jogar as escondidas no roupeiro, e ao qual é difícil resistir. Tal conto de fadas, o patinho feio torna-se um cisne, o amor vence o mal e todos ficam felizes mas para isso é necessário desvendar cada pequeno mistério e questão para que todo um quadro nos seja revelado. Pelo meio, o senso de humor delicado da autora arranca-nos sorrisos e pequenas gargalhadas, numa leitura que não permite lágrimas, antes a celebração das boas coisas da vida.
Por entre ligações misteriosas, segredos do passado e o valor inestimável dos sonhos e da amizade, podemos ver a alma humana crescer e ganhar cor, e é isso que este livro tem de tão especial, como consegue transmitir que todas as vidas têm um sentido e que os sonhos podem-se ter realidade e ainda melhores.
Mais uma história fantástica e maravilhosa de uma escritora que já conquistou corações por todo o mundo e que permite aos seus leitores sonharem acordados.


6*

3 comentários:

  1. Já li este livro a algum tempo, mas ainda me lembro da história como se o tivesse lido ontem. A minha personagem preferida foi definitivamente a Josey porque sempre me identifiquei muito com ela.
    Infelizmente ainda não li mais nenhum livro dela mas estou bastante curiosa quanto ao Jardim Encantado!

    ResponderEliminar
  2. Eu adorei este livro, tal como todos os outros desta autora, mas o que mais gostei foi sem dúvida O Jardim Encantado.

    ResponderEliminar