quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Opinião - A Jornada do Assassino

Título Original: Fool's Fate (#3.1 Tawny Man)
Autor: Robin Hobb
Editora: Saída de Emergência
Número de Páginas: 419

Sinopse
 Os poderes do Assassino tornaram-no uma lenda.
Mas quando ensinar o herdeiro a usá-los, ficará o reino mais seguro ou irremediavelmente perdido?
Depois do desafio lançado ao Príncipe Respeitador pela narcheska das Ilhas Externas, só lhe resta embarcar para o país de Eliânia em busca do dragão de Aslejval que tanto pode existir como não passar de uma lenda antiga.
Fitz, o mais famoso e temido assassino do reino, irá com ele. Mas a partida do herdeiro ao trono dos Seis Ducados para uma atribulada viagem marítima até uma terra de antepassados e inimigos não é algo que se faça de ânimo leve.
Que desafios irão ter de enfrentar os nossos heróis? As magias que ambos manejam imperfeitamente, serão uma ajuda ou um empecilho?
E o que acontecerá aos Seis Ducados se o herdeiro desaparecer
para sempre nessa terra misteriosa e distante?


Opinião 
 Eu não me apaixonei por este mundo a primeira, achava a história parada, estranha, como se nada se tivesse passado naquele primeiro livro, O Aprendiz do Assassino, era como se eu e ele não fôssemos nada compatíveis. Arrumei-o na prateleira e deixei o lá estar até que me apercebi por conversas, comentários, opiniões, que havia quem adorasse esta saga e que aguardava pelo próximo volume quase com desespero e quando lá saiam, os liam numa correria desenfreada e eu ficava a pensar no que será que eles tinham descoberto que eu não?

Como eu sou teimosa, casmurra, o que quiserem chamar, comprei o segundo volume para tirar a “prova dos nove” e tentar perceber se me tinha escapado alguma coisa e, a verdade, é que, de facto, me tinha escapado todo um mundo novo, um conjunto de personagens fascinantes e uma aventura inesquecível. Como é possível? Não sei, talvez aquela não fosse a altura certa para perceber este mundo, talvez se não tivesse dado uma segunda oportunidade, nunca teria percebido, não sei. Só sei que mais de um ano depois, Robin Hobb não me sai da mesa-de-cabeceira.
A Jornada do Assassino é o penúltimo livro do fim das aventuras de FitzCavalaria Visionário e, é nele, que atingimos o ponto alto d’ O Regresso do Assassino. Os nossos heróis partem para a aventura cheios de medos e esperanças para um mundo desconhecido que pode quebrar o futuro dos Seis Ducados se eles não forem extremamente cautelosos e se não aceitarem que nem sempre o inesperado é o mais correcto.
Cheio de respostas e ainda mais questões, este livro prima pelas emoções fortes, pelos acontecimentos inesperados, pelo clímax que antecede um fim para o qual ninguém sabe o que esperar enquanto ainda mais surpresas surgem para alterar destino de Torre de Cervo. O passado está prestes a encontrar o Bastardo e este ainda não sabe que papel terá num futuro onde todos lhe exigem uma posição que há muito devia ter sido tomada. Para os seguidores destes livros, este é o livro mais esperado, aquele onde segredos são desvendados e o caminho começa a ser desbravado, onde personagens à muito esquecidas retomam e onde o destino e a vida de Fitz começam a encontrar as respostas para uma existência perdida de todos os que amava.
A escrita de Robb é brilhante para este tipo de narrativa, lenta mas concisa onde o timing é estudado de forma alargada para agarrar os leitores em cada capítulo, cada parágrafo e cada linha, onde cada descoberta é vivenciada pelo leitor como se da sua própria vida se tratasse pois à muito que estas personagens passaram a fazer parte da nossa vida e que a sua dor e alegria são as nossas. Este é, talvez, o livro mais activo da saga, onde tudo se passa e tudo está prestes a acontecer, deixando a adrenalina passar das páginas para os leitores num fio que está prestes a rebentar. Mais uma vez, temos a prova que mais que uma contadora de histórias nata, Robin é uma criadora de personagens, uma mestra em segredos e mistérios que finalmente atingem o seu auge.
Cada personagem cresce mais e mais neste livro, tornam-se o que esperávamos ou mais ainda, no caminho que queríamos ou num completamente inesperado, viram a nossa mente do avesso e fazem-nos exclamar de surpresa. São a prova que o destino, os actos e as exigências constroem um ser humano e que este se adapta e se transcende parar ser muito mais e melhor. Cada uma delas tem um desafio, um propósito nesta aventura que está a chegar ao fim e, nenhuma, é mais do que as outras.
Entre revelações inesperadas que podem levar as lágrimas e fazer o leitor pensar nas consequências, entre surpresas gratificantes e desafios inimagináveis, acompanhámos Fitz e os seus companheiros na apreensão da coragem, da amizade, da fidelidade e do amor, dos laços familiares e dos laços que partem da partilha de sentimentos e ocasiões, na luta pela unidade, pela paz e pelo futuro.
Para mim, este livro ultrapassou todos os outros e só aqueles que acompanham esta saga compreenderão o porquê. Sofremos e rimos com estas personagens desde o início, sabemos o quanto lutam, o quanto amam e o quanto merecem, finalmente, viver em paz e somos incapazes de ficar imunes a algumas passagens deste livro, onde finalmente um rumo começa a ser desbravado, onde novos amores nascem e perdões são cedidos. Frases como “Devias ter voltado para casa”, vão quebrar-vos, outras vão fazer-vos rir, gritar de raiva ou simplesmente sorrir. Esta é a força de uma história que conhecemos desde o início, que esteja longe de ter finais felizes mas que será sempre verdadeira para com aqueles que a quiserem conhecer.
O saudosismo já me está afectar e como diz uma amiga “Podemos sempre reler!”. É verdade mas nunca mais sentiremos isto como da primeira vez. Qualquer fã de fantasia devia deixar-se embrenhar neste mundo. Eu voltei lá e não me arrependi.

7*

4 comentários:

  1. Olá :)

    Excelente opinião! Disseste tudo o que havia para dizer sobre este maravilhoso livro :)
    Tem tantas respostas e tantas questões...tudo ficou ali, no final, suspenso, à espera do próximo, que teima em sair!
    É verdade, existem frases que fazem-nos sentir diversas emoções. Gostei imenso daquela onde o Obtuso começa por dizer que queria voltar para casa, e depois o Fitz lembra-se da "casa", a Moly a chamá-lo. Eu gosto imenso do "casal" Moly e Fitz. Gostava imenso que ficassem juntos, depois de tudo o que aconteceu. E espero, sinceramente, que ela volte a ver o Fitz. Fiquei tão chateada com o que aconteceu sempre entre eles na primeira saga. Tão triste. O que primeiro me arrebatou nestes livros foi mesmo o par, um romance nascido praticamente na infância, onde ficamos a saber a história sempre da parte dele. Gosto muito de ler a prespetiva do Fitz, ele tem uma maneira muito encantadora de "falar". :)
    Espero mesmo que saía em Outubro! :)

    E podemos sempre reler :)

    Beijinhos e boas leituras =D

    ResponderEliminar
  2. Olá Maria!

    Muito Obrigada!=D

    Este livro tem muitas citações e momentos marcantes com as personagens mais "esquecidas" da história, acho que é uma das razões para ser uma leitura tão forte.
    Confesso que nunca fui fã da Molli lool se calhar porque gosto demasiado do Fitz...é que é mesmo uma personagem única!
    Ai pois tem *.* Gosto mesmo do desgramado!
    É bom que saia lool

    Beijinhos e boas leituras

    P.S. Não sei é quando, a pilha está cada vez maior!

    ResponderEliminar
  3. olá,

    Devo ser um dos que larga tudo quando um livro da Hobb sai e sim é uma das minhas escritoras preferidas.

    É a prova que com um universo pequeno se pode fazer uma excelente história.

    Só temo que com que falta as coisas acabem por ter um final como na saga anterior, pois ainda há muitas questões por desvendar.

    Por exemplo Fogogelo vive e vai ter a Vilamonte e são felizes para sempre ? Não é explorado um pouco melhor estes animais ?

    Manha e a sua aceitação como vai ficar ? Regresso (ou não a Torre do Cervo) do principe e seus acompanhastes ? Talento haverá um circulo ? Os picanços ? O que está por trás da mulher pálida / relação com o Bobo ? É muita coisa que agora vai ter que ser resolvida com pouca profundidade, mas esteja eu enganado :D

    Já estou triste por ver o fim à saga, mas tenho esperança que publiquem mais ;)

    BJS

    ResponderEliminar
  4. Olá Paulo!

    Todas essas dúvidas me assaltam e estou com o mesmo receio em relação ao final pois pouco ou nada ficou explicado...Aguardemos para ver ;)

    Acho que teremos sorte, afinal a Robin já é uma das marcas da Bang!

    beijinhos

    ResponderEliminar