segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Opinião - O Prestígio

Título Original: The Prestige
Autor: Christopher Priest
Editora: Saída de Emergência
Número de Páginas: 314

Sinopse
 O Terceiro Passo é uma história de segredos obsessivos e curiosidades insaciáveis. Actuando nas luxuosas salas de espectáculos vitorianas, dois jovens mágicos entram num feudo amargo e cruel, cujos efeitos podem ser ainda sentidos pelas respectivas famílias mais de um século depois. Os dois homens assombram a vida um do outro, levados ao extremo pelo mistério de uma espantosa ilusão que ambos fazem em palco. O segredo da magia é simples, mas para os antagonistas o verdadeiro mistério é outro, pois ambos os homens têm mais a esconder do que apenas os truques da sua ilusão.

Opinião 
 Vencedor de dois prémios literários, entre eles o World Fantasy Award for Best Novel, nomeado para outros três, este é o livro que passou despercebido em Portugal mas que foi um sucesso lá fora. Um dos livros mais aclamados do autor, foi traduzido em vinte e três línguas e tem actualmente quarenta edições. Deu origem ao filme O Terceiro Passo que contou com a realização de Christopher Nolan e como protagonistas Hugh Jackman e Christian Bale, tendo sido nomeado para dois Oscares da Academia, Melhor Fotografia e Melhor Direcção Artística.

Christopher Priest não é um novato nestas andanças. Escreve desde 1968 e tem onze livros publicados, entre outros trabalhos, já foi nomeado quatro vezes para o Hugo, tem catorze prémios literários ganhos sem contar com os dados a O Prestígio e vinte e sete nomeações. Tem outros dois livros prestes a serem adaptados ao cinema e é o vice-presidente da Sociedade H. G. Wells, para além de escrever críticas para vários jornais.
Depois de ter visto e adorado o filme, ao ponto de ser um dos meus preferidos, tomar a decisão de ler este livro foi fácil, principalmente quando o encontrei a €5 na banca da Saída de Emergência na Feira do Livro deste ano. O Prestígio é a história de dois mágicos que se odiarão para o resto da vida através da magia que praticam nos palcos da Londres vitoriana e aqui acabam as semelhanças entre livro e filme. Quem viu o filme e não leu o livro pode ficar descansado, tirando a parte de estarem sempre a imaginar Alfred como Bale e Rupert como Jackman, vão ler uma história completamente diferente da que esperavam e serão muito mais surpreendidos, mesmo que já saibam um dos grandes segredos da trama.
Relatado por vários narradores, O Prestígio vai rodar sempre de volta da magia, do seu alcance, das ambições e sonhos de dois jovens completamente opostos que encontrarão num mundo cheio de truques e ilusões o amor e o ódio e da forma como um segredo pode marcar a vida para sempre. Lendo os diários pessoais de Borden e Angier, viveremos as vidas de cada um, conheceremos as suas perspectivas acerca da magia, da família e de um do outro, para além da rivalidade comum. Mas mais do que um relato de truques de magia, este livro é uma caixinha de surpresas, onde nada do que parece é realmente, onde as aparências iludem e a magia está por todo o lado e não só nos palcos onde ambos actuam mas nas suas casas, nos seus caminhos e nos seus segredos.
Um livro único, brilhantemente bem escrito, onde o timing e o clímax são perfeitos, esta é a história que irá perseguir ambas as famílias durante gerações. De ambições devastadoras, de perseguição compulsiva, esta é uma narrativa complexa, onde cada momento e truque estão dentro de uma caixa que contém outra, que contém outra, e mais outra, que vai agarrar o leitor, obcecá-lo com cada questão, com cada resposta, até ao ponto, em que tal como as personagens, a obsessão vai-se tornar algo puramente natural. Escrito de uma forma simples, é através da cadência da acção que o leitor se vai sentir preso e maravilhado, não só pelo cuidado da pesquisa de Priest mas pelas suas descrições soberbas, pela sua ironia e beleza crua, pela forma como instiga as emoções até às suas formas mais feias nos parecerem naturais.
Entre segredos desvendados e outros escondidos, aprendemos a fazer truques, dos mais simples aos mais complexos, sem que a magia própria delas seja destruída mas antes agigantada pela curiosidade que nos toma. Conhecemos a parte obscura de uma sociedade de regras rígidas, a luta diária daqueles que não escolheram profissões convencionais, a forma com os sonhos destes dois jovens ganharam vida, foram destruídos, mudaram de forma e os ultrapassaram. Da simplicidade da sua escolha de vida às novas descobertas do século em que vivem, também Borden e Angier acompanharão as revoluções, sentirão as mudanças, mostrar-nos-ão como a ciência alterou a arte, a vida, a sociedade.
Entre nomes técnicos e a descoberta de sentimentos mais supérfluos, o leitor tomará lados, será enganado e iludido, descobrirá nas mentiras as verdades mais sinceras, será encantado e acordado. Resumindo, viverá, não só, noutra época como noutra dimensão. Aqui viverão outras experiências, várias vidas, descobrirão que para lá daquilo em que acreditámos, existe um outro mundo, superior, onde tudo o resto, o amor, a família, a nossa própria personalidade são apenas entraves a algo maior que nos está destinado.
As personagens principais de Priest são como a sua história, tanto simples como complexas, longe das questões habituais da humanidade, dedicados, desesperados, ambiciosos, obcecados, que não olham a meios para chegar ao seu fim. São únicas na sua essência, são encantadores e enganadores, são, acima de tudo, mágicos. Quanto às restantes, são remotas mas ainda cheias da essência dos seus antepassados, assombrados pelos segredos, dedicados ainda à procura de algo que os ultrapassa. Mas é o segredo comum de ambos que vai marcar esta narrativa, um segredo linear que se torna algo de uma grande magnitude quando olhado pelos olhos do rival, que vai persegui-los, modifica-los, até se tornar em algo que nenhum dos dois se atreveu a acreditar.
 Este é o livro dedicado aos que acreditam no que existe para lá de um gesto, para aqueles que desejam conhecer cada forma, para aqueles que pura e simplesmente apenas a apreciam na sua essência. Para quem gosta de magia ou nem por isso. Para quem viu o filme e para quem não viu. Esta é uma leitura para amantes de ficção-científica, fantasia ou para quem não aprecia estes géneros de todo. É uma leitura obrigatória e grandiosa que vai marcar todos os que a lerem.

6*

6 comentários:

  1. e eu andei este tempo toda convencida que o Terceiro passo era um argumento original!!! LOL
    Acrescentei o livro á minha lista de desejos!

    ResponderEliminar
  2. A sério?? Eu descobri porque há outra capa da SdE que é o poster do filme lool
    Se gostaste do filme vais de certeza gostar do livro =)

    ResponderEliminar
  3. Adorei o filme e estou há meses sem o ver porque quero esquecer os pormenores para me dedicar a leitura do livro.:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes levar a vontade, vai parecer que estás a ver dois mundos paralelos cuja a essência é a mesma mas no fundo são duas histórias com semelhanças mas diferentes, o realizador alterou um bocado a história do livro.
      E, espantosamente, não deixam ambos de ser bons por isso =)

      Eliminar
  4. Também adorei o livro e o filme está no meu top. É fantástico e não há muita gente que conhece as duas obras.
    Deixo-te aqui dois textos que fiz sobre o livro e adaptação, para trocarmos ideias!

    http://www.lerycriticar.blogspot.pt/2011/07/o-prestigio.html

    http://www.lerycriticar.blogspot.pt/2012/11/do-livro-tela-varias-adaptacoes.html

    ResponderEliminar
  5. Olá Luís!

    É verdade, poucos sabem que o livro existia antes do filme ou que tem alguma coisa a ver com ele, o que é uma pena porque são ambos fantásticos!

    Já tinha lido os teus artigos mas vou comentar =D

    ResponderEliminar