terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Opinião - Direitos de Sangue

Título Original: Blood Rights (#1 A Casa das Comarré)
Autor: Kristen Painter
Editora: Edições Asa
Número de Páginas: 376

Sinopse
 Chrisabelle esconde no corpo as marcas douradas e os segredos das comarré - uma raça especial de humanos criada para alimentar a elite de vampiros nobres com o seu sangue rico e poderoso. O destino dela está traçado desde sempre: servir incondicionalmente o seu patrono. Mas quando este é assassinado, a vida de Chrysabelle muda por completo. Finalmente pode ser livre, um sonho que nunca se permitira ter e que depressa se transforma num pesadelo. Ela é a principal suspeita do crime e do roubo de um anel mágico. O anel que a ambiciosa Tatiana está decidida a recuperar, custe o que custar. Chrysabelle atravessa o Atlântico para provar a sua inocência, e nesta demanda o seu caminho cruza-se com o de Malkolm, um poderoso e irresistível vampiro que foi renegado e alvo de uma maldição. Ambos tentam combater a inegável atração que os une. Mas o tempo urge. Ambos têm de unir esforços para travar os planos de Tatiana, que pretende acabar com o mundo tal como eles o conhecem e fundar um reino de trevas. Direitos de Sangue é o primeiro volume da série Casa das Comarré e um best-seller internacional.

Opinião

Kristen Painter é uma mulher de vários ofícios e hobbies. Desde maître no Wolfgang Puck, já foi personal trainer e até já vendeu jóias e cosméticos na Christian Dior Bijoux mas acabou por se tornar professora de Inglês. Hoje, é autora de fantasia urbana gótica por lhe permitir uma liberdade na construção de novos mundos que outros géneros não permitem mas quando chega a hora de escrever contos ora escreve de fantasia, steampunk ou contemporâneos. Para além da carreira de escritora, que lhe permite escrever poesia e artigos, é co-fundadora do website Romancedivas e tem um blogue pessoal. Vive actualmente com o marido, retirado da Força Área, na Florida com um grande número de felinos. É autora de uma saga, quatro romances, uma antologia e três contos.
Direitos de Sangue é o primeiro volume de uma saga que tanto tem conquistado como desiludido mas que sem dúvida revolucionou a escrita sobre vampiros e que tem merecido os maiores elogios de autoras como Patricia Briggs, Gena Showalter e Larissa Lone. Neste momento a autora prepara-se para publicar o quinto volume da saga. E por cá o segundo será publicado em Maio.
No seu corpo reflete-se o ouro, nas suas veias corre o sangue mais puro. Chrysabelle é uma comarré, uma raça humana criada para alimentar os vampiros mais poderosos, um símbolo do poder e riqueza do seu patrono mas por baixo do seu aspecto frágil ela esconde mais do que eles podem pensar. De propriedade do vampiro mais poderoso a fugitiva mais procurada, esta comarré vai ter de se aliar ao mais impensável e renegado dos vampiros se quiser manter-se a salvo e aos seus segredos mas o que ela não esperava era que aquilo que ela é estivesse mais que disposta a ceder tudo, até a liberdade, por uma dentada do perigo. Malkolm está amaldiçoado, por duas vezes a sua natureza condenou-o a uma existência escondida e atormentada e a morte parece uma solução demasiado boa. Séculos de fome, vozes que o tentam, podem bastar para ele dar cabo de Chrysabelle assim que lhe sente o cheiro mas uma reviravolta do destino e a sua humanidade profundamente enterrada levam-no a ajudá-la mesmo que isso signifique a perdição dos dois, mesmo que para isso tenha de desenterrar os segredos profundos do seu passado.
Este livro não é perfeito, eu admito isso mas a escrita intensa, crua e simples de Kristen bastaram para me deixar completamente enredada neste seu novo mundo, tão gótico, tão negro, tão perigoso, onde cada momento traz um novo elemento, cada reviravolta dá-nos mais um bocadinho desta sociedade onde vampiros e tantas outras espécies coexistem e cada palavra pode trazer uma nova revelação. A autora construiu toda uma nova dimensão sobre vampiros de raíz, uma dimensão com regras, nobreza, segredos e antepassados malditos da qual, aos poucos, vamos descobrindo um bocadinho mais e cada bocadinho nos dá vontade de saber mais ainda. A Casa das Comarré, o maior atractivo deste mundo de Painter, é uma novidade e tem muito mais que se lhe diga do que parece à primeira vez, é muitos mais que reflexos de ouro na pele e sangue puro, muito mais que uma propriedade que dá estatuto, muito mais que beleza e fragilidade. Outra das inovações é os chamados Castus Sanguis, os antepassados dos vampiros, caídos em desgraça, malditos para toda a eternidade, dos quais a autora apenas deu o suficiente para aguçar a curiosidade. Sem ser referente aos vampiros, temos todas umas novas espécies para descobrir com umas quantas características bem interessantes.
Quanto à narrativa, é fluída, envolvente e a acção nunca pára. Os momentos de calma duram pouco e as nossas personagens andam numa corrida contra o relógio durante todo o livro ou então a trocarem galhardetes, olhares gelados e toques quentes. Não é uma narrativa que prima pela descrição, nem apesar do que possam pensar pelo romance, até porque o casalinho está condenado desde o início para além de muitas diferenças que existem entre eles. Além disso, é um livro introdutório, serve para agarrar o leitor mas há muitos segredos e mistérios no ar mesmo depois de algumas revelações no final explosivo.
As personagens são o que são. À primeira vista necessitam de mais construção mas por trás do que vemos existem muitos segredos por descobrir. São fortes, determinadas, ousadas, têm garra e muita lata, são tão negras quanto o mundo em que vivem. Em relação ao casal principal, a relação deles ainda tem muito para andar e nem um nem o outro confiam no que sentem mas pelo menos confiam um no outro para fazerem uma equipa de arregalar os olhos e prometem uma relação de amor e ódio que fará muitos renderem-se. Quanto às personagens secundárias, acabam por sobressair um pouco mais, principalmente a fantasma e o gatinho que irão proporcionar os momentos mais doces da leitura, e a vilã Tatiana que irá irritar e deliciar.
Longe de parecer uma obra saída de Bishop ou Carey, não tem nada a ver aliás, Direitos de Sangue acaba por ser o início prometedor de uma saga negra e explosiva que deixará os amantes da fantasia urbana mais gótica e não só, a salivar por mais. Com muito por onde crescer e um enredo cheio de promessas sangrentas e muita adrenalina, este livro acabou de se tornar o guilty pleasure cá do sítio.

6*

2 comentários:

  1. Ena, 6 estrelas em 7, parece bem melhor do que estava à espera... deixaste-me interessada. ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também não estava a espera lool É o meu estilo de livro, daí ter lhe dado uma pontuação até alta. E sendo um primeiro livro ainda muita coisa pode avançar =D

      Eliminar