domingo, 10 de fevereiro de 2013

Opinião - Sangue-do-Coração

Título Original: Heart's Blood
Autor: Juliet Marillier
Editora: Bertrand Editora
Número de Páginas: 399

Sinopse
 Uma floresta assombrada. Um castelo amaldiçoado. Uma jovem que foge do seu passado e um homem que é mais do que parece ser. Uma história de amor, traição e redenção...

Whistling Tor é um lugar de segredos, uma colina arborizada e misteriosa que alberga a fortaleza deteriorada de um chefe tribal cujo nome se pronuncia no distrito em tons de repulsa e de amargura. Há uma maldição que paira sobre a família de Anluan e o seu povo; os bosques escondem uma força perigosa que pronuncia desgraças a cada sussurro.
E, no entanto, a fortaleza abandonada é um porto seguro para Caitrin, a jovem escriba inquieta que foge dos seus próprios fantasmas. Apesar do temperamento de Anluan e dos misteriosos segredos guardados nos corredores escuros, este lugar há muito temido providencia o refúgio de que ela tanto precisa.
À medida que o tempo passa, Caitrin aprende que há mais por detrás do jovem desfeito e dos estranhos membros do seu lar do que ela pensava. Poderá ser apenas através do amor e da determinação dela que a maldição será desfeita e Anluan e a sua gente libertados...


Opinião
Neo-zelandesa de nascimento com raízes irlandesas e escocesas, Juliet esteve sempre ligada ao folclore e mitologia destas duas culturas mas foi em Música que se formou, tendo sido cantora de ópera entre outros campos da música incluindo em coros. Durante 30 anos trabalhou para o Governo australiano até que em 2003, com o sucesso dos seus livros decidiu dedicar-se à escrita a tempo inteiro. Mãe de quatro filhos e avó de seis netos, vive numa casa centenária com os seus cães e é membro da ordem druídica OBOD.
Finalista do Aurealis Award e do Julius Vogel Award, Sangue-do-Coração foi publicado em 2009 e é uma mistura entre folclore e factos históricos irlandeses mas a verdadeira inspiração por trás da sua construção foi um dos contos preferidos de Juliet, A Bela e o Monstro. Longe de ser um retelling ou uma reinterpretação, este livro é a visão própria de Juliet do clássico, é a união dos elementos típicos dos seus livros com o formato de um conto que tem conquistado corações desde há séculos, transportando a magia e a alma de A Bela e o Monstro para um dos seus mundos, onde as suas personagens lhe dão outra vida.

Durante cem anos, quatro gerações de uma família foram amaldiçoadas com as trevas e a perda da vida e do amor. Um homem desfeito está preso pelas linhas do destino, pelos próprios medos e amargura num castelo abandonado onde só os que lhe são fiéis permanecem. Cercados por um segredo maldito, pelas assombrações dos que nunca partem, os habitantes de Whistling Tor há muito que perderam a vontade de lutar e Anluan permite que as sombras dentro dos espelhos e do seu coração o atormentem até que um dia, os seus pedidos são satisfeitos pela mais improvável das formas. Perseguida pelos seus próprios fantasmas, Caitrin chega a procura de protecção mas enquanto busca pelos segredos do castelo na velha biblioteca a jovem escriba dá consigo a criar amizades no mais inóspito dos lugares e a sonhar com um certo jardim povoado onde neve e fogo a observam.

Mais uma vez, Juliet arrebata-nos com um mundo onde maldições, magia e assombrações ganham vida através da sua mestria com as palavras, onde encantamentos surgem de espelhos atormentados e livros empoeirados, onde a beleza e o trato de um jardim podem significar um amor florescente. No meio de uma floresta assombrada, um castelo condenado à perda e à morte irá ser palco de uma dança de pequenos gestos, doces palavras e olhares prolongados. Verá regressar sentimentos há muito esquecidos, ouvirá de novo os risos de alegria em vez dos suspiros da tormenta e das vozes frias e desalentadas, voltará a tocar na suavidade das pétalas em vez dos espinhos mas para isso, terá de aceitar o alento da aceitação e o doce aconchego da esperança e de abandonar o medo das certezas e a crueldade do destino. Cem anos de assombrações malditas nascidas da magia negra provocada pela ambição de um homem, deixaram marcas no seu sangue e carne pois ali amor resulta em morte, os sonhos são desfeitos e cedo a revolta e as desilusões marcam para sempre a alma de um homem.

Este livro não é o recontar de um conto que todos conhecem, é uma história sobre diferenças e lutas interiores, sobre o medo de nós próprios e o poder de uma palavra tanto amiga como inimiga. Através de uma época da história irlandesa, encontrámos magia e espectros num lugar não encantado mas amaldiçoado onde todos os que lá vivem procuram uma única coisa, a compreensão, a aceitação do que realmente são. Aqui, a beleza é interior, aqui o nosso Monstro sofre não só de uma deformação física como há muito foi derrotado pelas circunstâncias da vida, desejando o que nunca poderá ser, tornando-se amargo e desiludido enquanto a nossa Bela, por dentro, carrega cicatrizes que poderão nunca sarar. À sua volta, existem histórias por contar, segredos enterrados bem fundo, coisas que não são o que parecem mas também existe amizades profundas, lealdades intricadas e uma segurança que Caitrin nunca pensou encontrar.

Recheado de personagens profundas, cheias de mistérios, esta é uma narrativa tão doce quanto atormentada, tão forte e arrebatadora quanto qualquer livro desta autora, que ao apresentar-nos magia e sobrenatural não esquece dos pequenos detalhes históricos tão preciosos, levando-nos através do tempo e da imaginação para outro mundo. Caitrin e Anluan são excepcionais, ambos quebrados, ambos doces, ambos sonhadores sem saberem que são lutadores, eles encantam-nos com pequenas cedências, pequenos gestos e palavras tão cheias de tudo que levam-nos a torcer por eles, a chorar com eles, a querer dar tudo para que eles se encontrem. Onde os sacrifícios e as lutas pessoais são necessárias para existir uma aceitação completa do outro, onde é necessário combater os nossos medos e levantar a cabeça, este amor é uma história de esperança e dedicação, de coragem e paixão, de combate e redenção. É uma flor que das cinzas e da mágoa floresce como algo belo, delicado e forte.

Depois temos as restantes personagens, um exemplo claro de tudo o que Juliet cria. São todas fantástica à sua maneira mas não posso deixar de falar na caracterização dos seus fantasmas, tão abandonados e carentes, tão desejosos de um fim, tão mais perto da humanidade. Como sempre, brilhante.

A Bela e o Monstro é o meu conto preferido de todos os tempos e foi uma honra ler a versão de Marillier, vê-la desmontar as peças e acrescentar outras novas, sentir a alma do meu conto refeita com a aura das suas palavras. Foi, sem dúvida, um dos momentos literários mais belos que li. Não interessa o que escreve ou como, porque tudo em que Juliet toca transforma-se em algo belo e no dia em que esta senhora escrever um livro mau, há muito autor que é melhor esconder-se. 

7*

7 comentários:

  1. Olá ;)

    Bem sou sincero adoro como bem sabes a Juliet, mas este livro não tem a magia de Sevenwaters, Ilhas Brilhantes ou mesmo as Cronicas de Bridei, logo para mim não foi um livro que me deixasse arrebatado, até porque já lhe conhecemos um pouco a maneira de escrever, logo tornaou-se algo previsivel, mas esta é a minha opinião amiga e não me custa dizer que mesmo não me tendo agradado tanto é Juliet, logo acima da média ;)

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!

      Sim eu já tinha lido comentários acerca disso mas nela não me importo que seja previsível e como adoro este conto era inevitável não adorar este livro =)

      beijinhos

      Eliminar
  2. Ai, ai, vou ter de ralhar, a Juliet não nasceu na Austrália (actualmente vive lá), mas na Nova Zelândia. :p

    É incrível como ela consegue pegar num conto tão conhecido e torná-lo numa coisa tão diferente, mas ainda assim reconhecível. *O* Ainda bem que gostaste. (Só tinhas essa hipótese! xD)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Opa =x eu passo a vida confundir! Mas vou emendar ta descansada ;)

      Mesmooooo =O Eu sei xD senão levava porrada e não me apetece, não, não!

      Eliminar
    2. Assim já gosto!

      Sim, era mais ou menos isso xD

      Eliminar
  3. Vou ler este livro agora nas férias. Adoro os livros da Juliet Marillier!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que gostes, é um dos meus preferidos!=D

      Eliminar