terça-feira, 26 de março de 2013

Opinião - Rendida

Título Original: Bared to You (#1 Crossfire)
Autor: Sylvia Day
Editora: Porto Editora
Número de Páginas: 352

Sinopse
 Gideon Cross apareceu na minha vida como uma luz na escuridão.
Um homem lindo, fascinante, um pouco louco e muito sedutor.
A atração que sentia por ele era diferente de tudo o que tinha experimentado na minha vida até então. Eu desejava-o como a uma droga que me enfraquecia dia após dia.
Gideon encontrou-me fragilizada e carente e entrou facilmente na minha vida.
Descobri que também ele tinha os seus próprios demónios. Tornámo-nos o espelho um do outro; éramos o reflexo das nossas mais profundas cicatrizes e... desejos.
Este amor transformou-me, mesmo que ainda hoje continue a rezar para que os pesadelos do passado não voltem para nos atormentar.


Opinião

Sylvia Day gerou controvérsia por cá por se ter inspirado no livro de E. L. James para escrever Rendida mas Sylvia era já uma autora conceituada antes de E. L. James sequer sonhar fazer fanfiction, com dezenas de prémios no currículo e uma vasta obra de romances e contos. Presidente da Romance Writers of America, esta americana de origem nipónica que adora viajar poderia ter sido treinadora de golfinhos mas o desejo de ser romancista foi mais forte e hoje conjuga a escrita com a vida conjugal e de linguista russa para o Exército dos E.U.A.
Sylvia tem livros publicados em mais de trinta e nove línguas, escreve com dois pseudónimos para além do seu nome e tem sido na literatura erótica que se tem destacado. O primeiro livro da série Crossfire, publicado em 2012 é a sua obra mais conhecida e foi nomeado para dois prémios na categoria de Romance.
Quando 50 Sombras de Grey foi publicado em Portugal provocou uma moda da qual ainda não nós livrámos e, Rendida, foi o seu sucessor sobre o qual caiu todas as expectativas. Foi chamado de cópia, foi considerado melhor, gerou polémica e deixou muitos viciados, a verdade é que não deixou ninguém indiferente.
A atracção pode ser momentânea, pode tornar-se obsessiva, pode abalar o mundo e levar a uma relação de risco, risco de se perder, de se fragilizar, de se apaixonar pela pessoa certa, alguém com tantos fantasmas e medos quanto tu. Gideon e Eva têm em comum passados de abuso, uma atracção fatal e personalidades defensivas que lhes podem custar não só o seu futuro juntos como o respeito e a confiança necessárias para ultrapassar as adversidades. Em clima de pura luxúria, necessidade obsessiva e uma possessividade extrema eles vão ter de baixar as defesas, vão ter de aprender a confiar e acreditar mas para duas pessoas de almas sofridas esse é o maior obstáculo e apesar da intensidade dos seus sentimentos a linha que os une é frágil e pode quebrar-se à mais pequena falha. Por entre o poder e a riqueza, no luxo e na opulência, eles são demasiado tenebrosos, demasiado apaixonados, demasiado focados um no outro.
É impossível não ler este livro e não constatar que não se pode compará-lo com As 50 Sombras de Grey, primeiro porque a escrita das autoras é tão diferente como a água e o azeite, segundo porque a história e as personagens estão longe de ser sequer parecidas. A escrita de Sylvia é a escrita de alguém com experiência, de alguém que sabe o que escreve, de alguém que conhece o seu estilo e por isso não tem as falhas chocantes de E. L. James nem a falta de jeito desta para descrever situações de erotismo e afins, logo aí, este é um livro diferente e por isso de qualidade superior. Quanto à forma como a autora desenvolve o enredo, provoca situações ou enquadra o romance este é sem dúvida um livro que em vez de provocar incredulidade e ataques de riso irá provocar exactamente o que um livro erótico deve provocar, ou seja, preparem-se para corar, ficar com os calores entre outras coisas, pois este livro é erotismo e sexualidade em cada palavra.
Se Rendida cumpre na perfeição o objectivo de um livro erótico quanto à história em si conjuga algumas falhas e elementos que não o deixam ser uma leitura mais consistente. Eva e Gideon são, sem dúvida, protagonistas mais fortes e interessantes mas a autora correu um risco ao unir duas pessoas obsessivas e atormentadas que ainda não confiam uma na outra. O facto de eles terem crises de possessividade e ciúmes a todo o instante e só os resolverem na cama, torna o amor deles senão frágil pelo menos pouco credível e é difícil acreditar na longa duração da relação quando todo o livro não passa disto mesmo. Em termos de personalidades agarram o leitor mas ainda não convencem pois acabam por ceder ambos depressa demais para duas pessoas com tantos problemas de confiança.
Em termos de enredo e personagens secundárias, este livro é muito mais consistente pois tem uma história que abarca segredos, reviravoltas e momentos de tensão e as restantes personagens são bastante credíveis e presentes. O problema é talvez o exagero à volta da homossexualidade que cerca a Eva por todos os lados, ambas as famílias são estranhas e problemáticas e, bem, parece que todos neste livro sofrem de graves problemas psicológicos e tudo o que é demais perde a veracidade.
Ainda não é um género que me tenha convencido mas Rendida acaba por abrir os horizontes e mostrar que erotismo e sexualidade podem ser escritos com qualidade e não se tornar algo assustador e ridículo. Não sei se irei ler o resto da trilogia mas pelo menos tirei as teimas e matei a curiosidade.

4*

Sem comentários:

Enviar um comentário