terça-feira, 8 de outubro de 2013

From Pages to a Movie *Os Filhos da Meia-Noite*






  Baseado na obra de Salman Rushdie, este filme estreia apenas quinta-feira mas graças a um passatempo pude vê-lo ontem na sua ante-estreia. Antes de mais, eu ainda não li o livro, por isso não posso compará-los mas garanto-vos que, depois de ver o filme, esta será, certamente, uma leitura obrigatória.


  Durante duas horas fomos levados ao passado da Índia, à sua luta pela independência, à separação em dois países, às vidas dos que, durante vinte anos, assistiram e cresceram sobre o palco da guerra e da transformação social. De uma forma lírica, em cores vibrantes e com música típica indiana de fundo, este filme arrebata em cada momento, toca-nos profundamente e, sem dúvida, deixa-nos a pensar.

  Para quem não sabe, a história começa com uma família, dois rapazes nascidos no momento da independência e trocados que para sempre estarão ligados. Sobre um deles recaí as maiores expectativas, tão grandes como as que recaem sobre esta nova Índia. Saleem é o reflexo, o espelho do seu país e, ao longo do filme enquanto ambos frustam tudo o que ambicionaram para eles, rapaz e país comovem-nos. Através da voz de Salman, que narra o filme, somos encantados não só pela sua voz como pelo carisma, a magia que ela emite e, claro, pela história que se desenrola a um ritmo lírico aos nossos olhos.



  Uma carta de amor à uma pátria, esta história mostra-nos as classes sociais indianas e, mais tarde, paquistanesas, com as suas tradições, rotina e convenções, mostra-nos uma sociedade em transformação que da esperança passa ao desespero, que da independência passa à igualdade. 

Em resumo, este é um filme glorioso e, de certeza, um dos melhores do ano.



1 comentário: