sábado, 23 de novembro de 2013

Opinião - Witchstruck

Título Original: Witcstruck (#1 The Tudor Witch Trilogy)
Autor: Victoria Lamb
Editora: Harlequin Teen
Número de Páginas: 320



Sinopse
 If she sink, she be no witch and shall be drowned.

If she float, she be a witch and must be hanged.

Meg Lytton has always known she is different--that she bears a dark and powerful gift. But in 1554 England, in service at Woodstock Palace to the banished Tudor princess Elizabeth, it has never been more dangerous to practise witchcraft. Meg knows she must guard her secret carefully from the many suspicious eyes watching over the princess and her companions. One wrong move could mean her life, and the life of Elizabeth, rightful heir to the English throne.

With witchfinder Marcus Dent determined to have Meg's hand in marriage, and Meg's own family conspiring against the English queen, there isn't a single person Meg can trust. Certainly not the enigmatic young Spanish priest Alejandro de Castillo, despite her undeniable feelings. But when all the world turns against her, Meg must open her heart to a dangerous choice.

The Secret Circle meets The Other Boleyn Girl in Witchstruck, the first book of the magical Tudor Witch trilogy.



Opinião

  Victoria Lamb nasceu no Essex em 1966 com o nome de Jane Holland no seio de uma família de talento. A mãe, Charlotte Lamb era uma romancista bestseller, o pai Richard Holland biógrafo e uma dos seus quatro irmãos é também escritora, para além de actriz e cantora. Em 1977 a família mudou-se para a Ilha de Man onde viveu durante vinte e três anos rodeada de livros e campo até se mudar para Inglaterra onde estudou e casou. Começou por escrever poesia pela qual ganhou diversos prémios e, tal como a mãe e a irmã, dedicou-se à escrita não só nesse género como em vários outros sob vários pseudónimos.

  Começou a escrever romances históricos em 2012 quando se mudou para a terra de Shakespeare e desde aí tem escrito dois livros por ano, um de romance histórico adulto e outro da sua série histórica fantástica juvenil que assina por Victoria Lamb. Continua a escrever poesia e outras coisas, actualmente vive na Cornualha com o marido e os cinco filhos.

  Witchstruck é o seu primeiro livro juvenil e o primeiro da sua trilogia Tudor Witch. Foi publicado o ano passado, tendo sido publicado nos E.U.A este ano. Witchfall é o seu segundo volume.

  Passado numa época de tensão e medo, de fogueiras e desconfiança, Witchstruck é uma aventura cheia de feitiços, coragem e tentação, onde uma bruxa e uma princesa terão de aprender a lidar com quem sou e com os sonhos e terror que provocam nos outros. Victoria Lamb dá-nos uma história cheia de acção e surpresas, ambições e desejos onde o perigo está sempre a espreita, onde as paredes têm ouvidos e a floresta esconde testemunhas indesejadas. Com uma escrita simples mas tentadora, a autora agarra o leitor à sua história da primeira à última página, conseguindo que este sinta as emoções das personagens e que se importe com elas, impedindo-o de parar de ler até a última página se fechar.

   Este é um enredo onde as conspirações nunca acabam, onde aliados são inimigos, onde os amigos estão onde menos se esperam, onde uma palavra, um gesto pode virar a sorte. As portas fechadas podem esconder um plano de morte e poder, uma salvação ou um sonho escrito nas estrelas. A traição está na corte e fora dela, está em casa, nas cartas, nas palavras ditas. Os inimigos escondem-se por trás de um sorriso, os amigos aguardam nas sombras e em noites de lua feitiços e premonições são feitos. E a tentação existe em todos, desde a tentação do poder à paz, da destruição à redenção, há um amor proibido. Mas esta história, mais do que a história de uma princesa que aguarda a morte ou o trono e que vive assombrada pelo fim da mãe, é a história de uma bruxa, uma bruxa que tem de esconder os seus poderes ou usá-los para ajudar a sua senhora correndo o risco de enfrentar a morte. 

  Como se tudo isto não bastasse para criar uma história viciante, existe ainda o elemento fantástico, as bruxas. A narrativa está cheia de bruxaria, rituais feitos nas brumas das florestas à noite, feitiços de protecção e adivinhação, espelhos e livros, pedras mágicas, nada falta às bruxas de Lamb. Para além disso, estas são bruxas cientes não só do seu poder como do perigo que correm nestes tempos de incompreensão, bruxas que não precisam de espadas para as defender, bruxas insolentes e corajosas capazes de tudo para se salvarem e protegerem os que amam, bruxas que mostram ainda dão cartas num género cheio de criaturas fantásticas.

  Meg Lyton, a protagonista, é uma bruxa irresistível, que juntamente com a princesa Elizabeth e o padre Alejandro, dá brilho a esta história de aventuras e intrigas. Um elenco cheio de personagens interessantes, desde uma rainha atormentada a um caçador de bruxas assustador, complementa esta história e tornam-na uma leitura de entretenimento que obriga o leitor a ler sem parar e a desejar ter já o próximo volume a mão. 

  Uma surpresa inesperada, Witchstruck é um livro viciante que irá agradar a qualquer fã de bruxas ou de perigosas aventuras. Num mercado saturado de criaturas mágicas, Victoria Lamb vai buscar a criatura mais simples de todas e volta a mostrar que as bruxas continuam a não ser para brincadeiras e continuam bem vivas no nosso imaginário.


Sem comentários:

Enviar um comentário