segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

From Pages to a Movie: Hobbit [A Desolação de Smaug]



  Este fim-de-semana dirigi-me ao IMAX para ver um dos filmes mais esperados do ano, o segundo filme de Peter Jackson adaptado de O Hobbit de J.R.R. Tolkien depois de ter visto a primeira parte, Uma Viagem Inesperada, uns dias antes.

  Enquanto fã deste mundo, do autor e do realizador, foi com enorme expectativa que fui ver este filme, esperando que este tivesse menos palha que o anterior e que fosse igualmente uma surpreendente. Apesar de continuar a achar que três filmes são completamente desnecessários, a verdade é que esta é uma experiência cinematográfica única, não só devido aos melhor 3D com que já me deparei mas também devido ao ambiente magnífico que Jackson continua a imprimir nas suas adaptações. Todo o trabalho de produção, desde o vestuário à banda sonora, da maquilhagem aos cenários, é impressionante e fazem com que estas duas horas e meia de filme passem a correr.


  De facto este filme tem mais desenvolvimento e muito mais acção mas nota-se que há cenas que duram demasiado como a das aranhas e outras que são muito mais levadas ao pormenor. Isto não retira o prazer mas nos faz pensar se só um filme não seria igualmente bom. Enfim, a verdade é que A Desolação de Smaug está recheado de batalhas, ligações à trilogia e momentos verdadeiramente épicos mas, falo por mim, o que mais gosto nos dá neste filme é relembrar a Irmandade. Penso que muitos dos fãs da dupla Legolas/Gimli se irão enternecer (e rir bastante) com uma certa cena. A única coisa que deixou um saborzinho amargo foi o fim que podia ter ido um bocadinho mais além do que terminar naquela parte já que não faz muito sentido.

  Quanto às interpretações, eu adoro o Richard Armitage e como Thorin ele consegue quase, quase substituir Viggo e o seu Aragorn (mas é só quase). Martin Freeman é brilhante como Bilbo e não é tão giro quando pensámos que quem dá voz ao Smaug é o Benedict?? É pois! E, apesar de adorar Gandalf e Legolas, os verdadeiros heroís deste filme são os anões! Todos eles merecem uma salva de pé por estes anões rezingões, teimosos e tão queridos.

Tendo sido o segundo filme que fui ver em IMAX, estou completamente rendida. Ir ao cinema tornou-se outra coisa!

2 comentários:

  1. Confesso que de um modo geral gostei bastante do filme (eu até tinha gostado do primeiro) mas ainda houve muitas coisas que não me agradaram, nomeadamente aquele trio amoroso forçado e acho que esticaram muitas cenas de acção e até as cenas finais com o dragão. Gostei mas esperava melhor. Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ambos os filmes acabam por ser muito esticados o que lhes tira um pouco da piada mas hei ao menos estão quase a adaptar o livro palavra a palavra, também não poder ser tudo mau =p

      Beijos e boas leituras!

      Eliminar