quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Aquisições&Leituras *Outubro*

  Vocês não vão acreditar mas eu portei-me bem este mês! Sim, sim, porque aproveitei promoções e dinheiro que tinha no cartão da Bertrand em livrinhos que queria imenso. Aliás essa é a minha nova resolução, só comprar livros que quero imenso e este mês já a coloquei em práctica e, por isso, estou muito orgulhosa de mim mesma. Claro que para o mês que vem não posso responder por aqueles que serão uns amores e me oferecerão livros (falta uma semana e três dias para o meu aniversário) mas espero continuar a portar-me bem.

  Também beneficei bastante da generosidade das editoras parceiras aqui do cantinho. Recebi livros que queria imenso e alguns deles deram-me já muitas horas felizes de leitura. Aliás só um é que não e bastou-me esse. 

  Ora este foi um mês em cheio aqui no Chaise Longue e confesso não posso estar senão feliz. Publiquei onze opiniões, o Picture Puzzle continua em dia e já tenho os de Novembro feitos, participei com bastante entusiasmo em nada mais nada menos do que dezanove TAG's, tivemos cinco passatempos estando o Especial ainda em curso e chegámos às três centenas e já ultrapassámos esse número. É ou não é razão para andar feliz da vida?

 Agora chega de conversa fiada e vamos ver as fotos dos meus novos livrinhos



Aquisições


Paixão Escandalosa, Emma Wildes *Opinião*
Memórias de Um Amigo Imaginário, Matthew Dicks *Opinião*
Graças a parceira Planeta Manuscrito li mais um livro de Emma Wildes e descobri um livro que sem dúvida marca todos os que o lêem


Quando o Cuco Chama, Robert Galbraith
Uma Morte Súbita, J.K. Rowling
Poderia eu  resistir a uma promoção de livros da Rainha? Não, claro que não! Na pré-compra do primeiro a Bertrand oferecia o segundo e os portes, nem imaginam quanto poupei aposto!
 

D. Maria II, Tudo Por Um Reino, Isabel Stilwell
O meu primeiro livro da Stilwell!!! Graças aos 40% de desconto que ele tinha na Worten ele veio comigo mas ficou emprestado a uma amiga, daí que a foto tenha sido tirada à pressa.


Austenlândia, Shannon Hale *Opinião*
A Libélula Presa no Âmbar, Diana Gabaldon
Encantamentos, Kathryn Harrison
O segundo comprei numa das campanhas que a FNAC teve este mês e os outros dois acabaram por ser comprados na Bertrand, a sorte é que eu já tinha algum dinheiro acumulado no cartão. Recomendo o primeiro a todos os fãs de Austen e estou louca para ler os outros.


Crime de Luxo, Ngaio Marsh
Provocadora, Madeline Hunter
A Promessa, Lesley Pearse
Recebidos da parceira Leya/ASA, um deles é o meu primeiro de uma colecção que espero fazer,   os outros são continuações de livros que gostei.


Luz e Sombra, Leigh Bardugo
Os Adivinhos, Libba Bray *Opinião*
A Lança do Deserto, Peter V. Brett
Esta deve ser a minha foto preferida mas não contem aos outros!*shhhh*  Adorei o do meio, é perfeito para esta época! O terceiro espero ler em breve porque gostei muito do primeiro e já ali tenho o terceiro e o primeiro, nem acredito que já o cá tenho! Recebidos da parceria Leya/ 1001 Mundos.


Quando Tu Eras Meu, Rebecca Serle *Opinião*
Princesa Mecânica, Cassandra Clare
Pede-me o Que Quiseres, Megan Maxwell *Razões porque não o terminei*
Esta também poderia ser uma foto preferida se eu cortasse o livro da direita... O primeiro é super fofo, fãs de Romeu e Julieta e não fãs, leiam! O do meio, é Cassandra Clare, que mais posso dizer? Recebidos da parceira Planeta Manuscrito.


O Melhor do Mês

Que livro mais... nem sei, não há palavras para o descrever... Leiam-no!

O Pior do Mês

Que coisa mais intragável! Não gostaram das 50 Sombras Horrendas? Então NÃO leiam este.


As restantes Opiniões de Outubro


E...

Picture Puzzle #44, #45, #46, #47, #48






Nova Rubrica: Acessórios de Leitura


Próxima Opinião


TAG *Apocalipse Zombie!*

  Hoje é... Halloween e nada como uma TAG muito assustadora para comemorar este dia!

  Tirada à Catarina do Páginas Encadernadas quase à dentada, esta TAG foi criada pelo blog Ourives das palavras e o objectivo é escolher 10 personagens para formar uma equipa de sobrevivência num apocalipse zombie. 

  Preparados?



1. Um personagem para liderar o grupo: Jericho Barrons da série Fever. Ele é um líder, é um mauzão e ninguém se vai atrever a contrariá-lo! Além do mais é fantástico em manter pessoas vivas. E mete medo.

 
2. Um personagem com conhecimentos médicos: Claire de Outlander. Só enfermeira mas muito desenrascada e nada a abala nem de repente encontrar-se no século XVIII.
 
3. Um personagem inteligente: Tyrion Lannister da série Crónicas de Gelo e Fogo é a mente aguçada que qualquer um quereria. Também podem contar com ele para beber todas as bebidas disponíveis.
 
4. Um personagem para morrer primeiro: Travis de Um Desastre Maravilhoso. Sim o Jericho iria deixar alguém morrer porque desejaria ardentemente livrar-se deste empecilho. Ele odeia empecilhos e não se importa nada que idiotas morram. Nadinha.

5. Um personagem Badass: Saba de Estrada Vermelha, Estrada de Sangue é fria, corajosa e sabe uns quantos truques. E é má podem ter a certeza!

 
6. Um personagem duas caras: Nathaniel de Anjo Mecânico é um vira casacas! Um reles  de primeira capaz de vender qualquer um para se safar.
 
7. Um personagem engraçado: Renfield de Eterna Saudade é super divertido e... Zombie mas um Zombie muito à frente e que não se importa de matar zombies maus. Sim, porque ele é bom!

8. Um personagem medroso: Dimitri de Um Grande Amor da Minha Vida é um medroso de primeira!

9. Um personagem criança: Claudia de A Entrevista com o Vampiro. Vampira, perigosa e aprendeu muita coisa com o Lestat...
 
10. Um personagem qualquer: O Homem Pintado da série O Ciclo A Noite dos Demónios. Este tipo dá cabo de qualquer um!
 

Tentações: O Voo do Corvo [Planeta Manuscrito]

Já na livraria mais próxima 
a continuação de Shadowfell
a série que voltou a seduzir os fãs

 
Título: O Voo do Corvo
Título Original: Raven Flight
Autor: Juliet Marillier
Editora: Planeta Manuscrito
Número de Páginas: 400
Preço: €19.95






Juliet Marillier
Juliet Marillier nasceu na Nova Zelândia, em Dunedin, uma cidade com fortes raízes na tradição escocesa. Licenciou-se com distinção em Linguística e Música,na Universidade de Otago, e tem tido uma carreira variada que inclui o ensino, a interpretação musical e o trabalho em agências governamentais.
Actualmente, Juliet vive numa casa de campo centenária, perto do rio, em Perth, na Austrália, onde escreve a tempo inteiro. É membro da ordem druídica OBOD. Partilha a sua casa com dois cães e um gato.
Juliet Marillier é uma autora internacionalmente reconhecida e os seus romances já conquistaram vários prémios.
Visite o sítio da autora em: www.julietmarillier.com




 O Voo do Corvo
Sinopse: Depois de concluir a sua longa e árdua viagem até à base dos Rebeldes em Shadowfell, Neryn tornou-se uma parte vital da rebelião contra o tirânico rei Keldec. Cada passo que dá no sentido de aperfeiçoar os seus dons e afirmar-se como uma Voz poderosa e única na sua geração leva-os mais perto da meta pretendida. Mas, primeiro, Neryn terá de procurar os Guardiães das quatro Vigias para completar o seu treino e o tempo escasseia. Entretanto, Flint, o espião rebelde por quem se apaixonou, foi de novo chamado à corte de Keldec. O laço que os une é tão forte que, mesmo à distância, se procuram em sonhos, partilhando momentos preciosos - ainda que inquietantes - da vida um do outro.

Os Rebeldes vêem com desconfiança este novo amor. Permitir que a emoção se sobreponha à lógica fria do movimento pode pôr tudo em risco. No fim, o amor poderá revelar-se a força motriz da esperança ou a brecha traiçoeira na armadura da rebelião.


Porquê uma tentação?
É Juliet Marillier! Haverá melhor razão que esta??


O primeiro da série



Tentações: Sob o Céu que Não Existe [Planeta Manuscrito]

Primeiro livro de uma electrizante trilogia
ambientada num futuro fictício, mas
assustadoramente possível
Já nas suas livrarias


Título: Sob o Céu que Não Existe 
Título Original: Under The Never Sky
Autor: Veronica Rossi
Editora: Planeta Manuscrito
Número de Páginas: 296
Preço: €17.76






Veronica Rossi
   Formou-se na UCLA e estudou Arte no California College of the Arts, em São Francisco.
Começou a escrever ficção para adolescentes e recebeu os primeiros prémios dos concursos anuais da Pacific Northwest Writers Association e da SouthWest Writers antes de terminar Sob o Céu Que não Existe. Desde então, é requisitada por editoras de todo o mundo e já recebeu
um convite da Warner Bros.
  Veronica vive no Norte da Califórnia com o marido eos dois filhos.
  Pode visitá-la no Facebook ou em www.veronicarossi.com



Sob o Céu que Não Existe
Sinopse:    UMA ALIANÇA IMPROVÁVEL NUM MUNDO PERIGOSO.

                                 UMA AVENTURA DE TIRAR A RESPIRAÇÃO.

                                          UM ROMANCE INESQUECÍVEL

  O mundo mantinha-os separados, mas o destino reuniu-os. Aria viveu toda a vida no Casulo protegido de Reverie. Este era o seu mundo e nunca pensou sobre o que estaria para lá das fronteiras.
  Mas, quando a mãe desaparece, Aria vê-se confrontada a sair para o exterior para a procurar, e a sobrevivência no deserto o tempo suficiente para a encontrar parece impossível.
  Então Aria encontra um estranho chamado Perry. Ele também está à procura de alguém. Mas é um Externo, um Selvagem, contudo é a única pessoa capaz de a manter viva na travessia do deserto.
  E se conseguirem sobreviver serão a esperança um dooutro para encontrar respostas às perguntas que vão surgindo àmedida que se vão conhecendo.


Porquê uma tentação?
Ando a namorar este livro há um ano e este ano estive quase para o ler em inglês mas descobri que ia sair cá e por isso esperei mais uns meses e espero que valha a pena! É uma distopia, um género de que gosto cada vez mais e as críticas lá fora têm sido estupendas.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Passatempo *Os Adivinhos* Resultado!

  Chegou ao fim um passatempo que fiquei muito feliz em proporcionar-vos! Não só porque adoro a autora e é uma alegria voltar a vê-la nas pratelereiras das nossas livrarias mas porque este livro é FANTÁSTICO como podem ver pela minha Opinião

   Exacto! Para sorteio tinha um exemplar de Os Adivinhos para vos oferecer e há alguém muito sortudo que o irá receber...

  Das 128 participações válidas, o número escolhido pelo random.org foi...

6. Maria (...) Águas

  


   O email de confirmação já foi enviado à vencedora. 
   Obrigada a todos os participantes e não se preocupem senão ganharam este pois está um passatempo especial no ar e mais hão-de vir!

Picture Puzzle #48






Regras:
  • Escolher um livro;
  • Arranjar imagens representativas das palavras dos títulos (uma imagem por palavra, ignorando os "e, o(s), a(s), de, etc.);
  • Fazer o post e convidar o pessoal a tentar adivinhar o livro;
  • Se estiver a ser difícil podem ser fornecidas pistas mas está ao critério do administrador do blogue;
  • As imagens não têm de literalmente representar o título
Podem consultar a rubrica nos seguintes blogues: Bookeater/Booklover


Puzzle #1

Pistas: traduzido para português; novidade deste mês; é uma continuação



Puzzle #2
 Pistas: traduzido para português;


terça-feira, 29 de outubro de 2013

Opinião - Austenlândia

Título Original: Austenland (#1 Austenland)
Autor: Shannon Hale
Editora: Editorial Presença
Número de Páginas: 184
 
 
Sinopse
 Jane Hayes é uma nova-iorquina de trinta e poucos anos que aparentemente não consegue ter sorte na sua vida amorosa. Não que isso pareça incomodá-la, já que nenhum homem poderá alguma vez sobrepor-se à sua obsessão secreta por Mr. Darcy, tal como foi encarnado por Colin Firth na adaptação da BBC de Orgulho e Preconceito. Quando uma tia-avó lhe deixa em testamento umas férias em Pembrook Park, um lugar que proporciona a admiradores de Jane Austen a oportunidade de viverem durante algumas semanas como se estivessem em 1816, os seus sonhos parecem bastante perto de se tornarem realidade. Mas conseguirá a ilusão estar também à altura das suas expectativas?
 
 
Opinião
  Segundo a mãe de Shannon, ela é uma contadora de histórias desde que nasceu, tagarelando sem parar numa conversa sem sentido quando bebé e, mais tarde, obrigando os irmãos mais novos a entrar nas suas peças até que uma professora do básico lhe apresentou as maravilhas de escrever ficção, algo que Shannon meteu em práctica com afinco, escrevendo histórias fantásticas onde era a heroína.

  Enquanto escrevia em segredo, Shannon dedicou-se à representação nos seus mais variados formatos e tirou o bacharelato em Inglês e o mestrado em Escrita Criativa. Poucos anos e muitas rejeições depois, publicou o seu primeiro livro Goose Girl em 2003, o primeiro dos seus doze livros. Shannon escreve livros YA e estreou-se nas novelas gráficas em 2008. Austenlândia é o seu primeiro livro para adultos.

  Publicado em 2007, está traduzido para francês e português e estreou este ano a sua adaptação para cinema no festival Sundance Film Festival, aguardando-se a sua distribuição nos EUA e restantes países. No início do ano, foi publicada a continuação, Midnight in Austeland.

  Quem não gostaria de ser uma heroína de Austen? Quem não quereria um Mr. Darcy? Esta é a premissa de Austenlândia um livro feito para as fãs de Jane Austen que sonham em ter um amor como o dos seus livros e acordar pela manhã com um Mr. Darcy ao lado. Com uma escrita divertida e fluída, Shannon Hale dá vida aos sonhos mais secretos de uma mulher de trinta anos que sempre procurou o amor perfeito e que sonha com um Colin Firth arrogante, orgulhoso e romântico de suíças, calças justas e chapéu alto. Em poucas páginas, a autora dá vida a esta fantasia e pelo meio de peripécias, desgostos e muitas gargalhadas deixa as suas leitoras com vontade de ocupar o lugar de Jane na Austenlândia

  Com um enredo que traz o romantismo e o humor ao de cima, este livro fala-nos da obsessão de uma relação perfeita, de um homem perfeito, de um amor como os que encontrámos nas páginas de um livro ou nas cenas de uma série através das múltiplas asneiras amorosas da protagonista que não consegue viver sem ter exactamente aquilo com que sempre sonhou. Com Jane vemos como as exigências em demasia, o sonhar demasiado alto, acabam por colocar a nossa protagonista num impasse em que parece ser demasiado tarde para poder ser feliz. No início do livro sentimos que Jane precisa de crescer e aceitar a realidade, o Mr. Darcy não existe, mas terá ela de se contentar com menos do que sempre imaginou ou valerá a pena esperar pelo homem ideal? Ao longo das páginas deste livro vamos obter a resposta a esta pergunta mas para isso Jane terá de enfrentar os seus medos e obsessões, terá de voltar a conhecer-se e perceber o que realmente deseja da vida.

  Aquilo que fantasiámos pode ser perigoso, não só para nós como para as pessoas a nossa volta, esta é a grande lição deste livro, pois as nossas fantasias podem impedir-nos de ver a realidade e de a viver em pleno, podem impedir-nos de ver que a felicidade pode estar a nossa frente e que somos nós que precisámos de batalhar por ela e construí-la pedra a pedra. Com as asneiras, os problemas e as loucuras de Jane percebemos como esta apenas se fixou no “felizes para sempre” e se esqueceu na sua busca pelo homem perfeito o quanto as protagonistas de Austen têm de sofrer e passar até ao final que realmente mereciam e que, bem, Jane parece querer de bandeja. Obcecada, algo desvairada, muito ingénua, Jane parece não compreender as nuances de um romance e acha que basta encontrar um homem para ele ser o tal mas isso é algo que vai compreender em Austenlândia com os erros das fantasias dos outros e com as suas próprias.

  Num ambiente típico do século XIX assistimos às peripécias e desvairos de um elenco que procura um escape para as realidades das suas vidas. Com eles rimo-nos, abanámos a cabeça de frustração, percebemos que Jane não é um caso único de verdadeiros problemas em lidar com a realidade. Divertidas, palermas por vezes, sonhadoras ou demasiado cépticas, estas personagens proporcionam-nos algumas horas de fuga para um mundo onde a fantasia pode ser a verdade dos nossos dias sem graça aparente. Romances fingidos, atracções armadilhadas e declarações falsas vão ensinar que a verdade do romance nunca é tão idílica como queremos.

  Simples, divertido e romântico, Austenlândia é o livro certo para as fãs de Jane Austen, sejam elas obcecadas por Colin Firth, quer dizer, Mr. Darcy ou não. 

5*

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

TAG *Chatice Literária*

Vi esta TAG no blogue O Prazer das Coisas da Tita e foi criada pelo blogue Desabafos Agridoces
 


1. Livro que você achou que seria legal, mas foi um saco
O Mago - Aprendiz de Raymond Feist. A melhor fantasia dos últimos 50 anos, ora tinha de ser muito bom não é? Não, não é. Que desilusão.


2. Livro que todos dizem que é fantástico e você nhé
Um Desastre Maravilhoso de Jamie McGuire. Todos dizem que é fantástico, eu digo... Tirem-me isso da frente e nunca mais pronunciem este nome!




3. Livro que tinha tudo pra ser bom, mas é chato.
Paixão numa Noite de Inverno da Eloisa James. A capa é linda, a sinopse super romântica e depois o livro é tão sem graça!! A autora tem um cuidado imenso nos pormenores, a história podia ser interessante e depois chato, chato, chato!


4. Livro com o personagem principal intragável
Ora bem como escolher ente Anastasia Steele, Bella Swan e a anjo Bethany? Não dá por isso aqui têm o top 3 dos livro com protagonistas mais intragáveis: Cinquenta Sombras de Grey, Crepúsculo e Halo.


5. Livro com o fim terrível
O pior fim de sempre porque todo o livro foi mau e não fez sentido: Êxtase de Lauren Kate. 




6. Universo que você nunca gostaria de morar
Nárnia. A sério! Os livros até são queridos e tal mas eu e Nárnia dispensámo-nos mutuamente.

 
7. Livro que você tem na estante, mas tem medo de ler por parecer chato
Comer, Orar, Amar. Alguém o quer? Acho que nunca lhe vou pegar...


8. Livro que tinha tudo para ser chato e foi ''mó'' legal
O Historiador de Elizabeth Kostova. Eu peguei nele e pensei ai ai que isto vai ser uma seca e não é que é das melhores coisas que já li??

domingo, 27 de outubro de 2013

TAG *O Outono Chegou*

Esta é uma TAG sobre o Outono criada pela Cláudia do canal “A mulher que ama livros” (vídeo original aqui) e que me foi passada pela Catarina do Páginas Encadernadas, como vem sendo hábito.

Para a Cláudia, o Outono é sinónimo de  7 ideias/tópicos e nós temos de relacionar cada deles com livros.

1. Tardes de Outono perfeitas 

Indica um livro perfeito

 Mariana de Susanna Kearsley. Romântico, é um livro que nos aconchega e nos deixa a sonhar. Perfeito para um fim de tarde.



2.Escurece mais cedo

Indica um livro que chegou ao fim cedo demais.

Quando Tu Eras Meu de Rebecca Serle. Nem dá pelas páginas passarem e só queria um bocadinho mais.



3.Manhãs frias, vontade de ficar debaixo da manta

Indica um livro que te aqueceu o coração.

Anna e o Beijo Francês de Stephanie Perkins. Existe livro mais fofo e que nos deixe com um sorriso maior do que este?

 

4.Lareira e fogueira

Indica um personagem com o qual gostavas de ficar horas à conversa à beira de uma lareira ou fogueira. 

E que tal juntar a Gemma Doyle de Uma Grandiosa e Terrível Beleza e a Clary da série Instrumentos Mortais da Cassandra Clare à minha pessoa? Ia ser giro!


5.Paisagens bonitas

Indica um livro com uma capa com cores outonais.

 Esta capa além de ser linda, tem todas as cores do Outono, até o cabelo da modelo tem a cor perfeita!

 

6.Castanhas quentinhas e boas

Indica meia dúzia de livros bons para ler nesta estação.

 - Os dois livros da Susana Kearsley, Mariana e O Segredo de Sophia
- Outlander, Nas Asas do Tempo de Diana Gabaldon
- A Noite de Todas as Almas de Deborah Harkness
- Eterna Saudade de Lia Habel
- Chocolate de Joanne Harris


7.Outono, estação de chá, bolos e livros

Fala um bocadinho da relação que ambos têm na tua vida

Eu odiava chá desde pequena, não percebia o porquê de beber água com sabores insípidos que só me davam vontade de vomitar. Ainda por cima o chá bebe-se quente e eu nunca gostei de bebidas quentes! Hoje já bebo mas apenas preto, vermelho ou com sabores exóticos e continuo incapaz de sequer sentir o cheiro da camomila, da lúcia-lima ou o que seja, prefiro sem dúvida o café em todas as formas! Os bolos é outra história... Adoro! E faço um de amêndoa e outro de iogurte fantásticos *.* E os meus livros, sem esses não vivo antes mesmo de ter aprendido a ler.

sábado, 26 de outubro de 2013

Opinião - Os Adivinhos

Título Original: The Diviners (#1 The Diviners)
Autor: Libba Bray
Editora: ASA
Número de Páginas: 580


Sinopse
Evie O'Neill foi exilada da sua monótona e pacata cidade natal e enviada para as agitadas ruas de Nova Iorque - e fica radiante! Nova Iorque é a cidade dos bares clandestinos, das compras e dos cinemas! Pouco depois, Evie começa a andar com as glamorosas «Ziegfield Girls» e com atraentes carteiristas. O único problema é que Evie tem de viver com o seu tio Will, curador do Museu Americano de Folclore, Superstição e Ocultismo - também conhecido como «O Museu dos Arrepios», homem com uma pouso saudável obsessão pelo oculto.

Evie receia que ele descubra o seu segredo mais sombrio: um poder sobrenatural que até ao momento só lhe causou problemas. Porém, quando a polícia encontra uma rapariga morta que tem um estranho símbolo gravado na testa e Will é chamado ao local, Evie percebe que o seu dom pode ajudar a apanhar o assassino em série.

Quando Evie mergulha de cabeça numa dança com um assassino, outras histórias se desenrolam na cidade que nunca dorme. Um jovem chamado Memphis é apanhado entre dois mundos. Uma corista chamada Theta anda a fugir do seu passado. Um estudante chamado Jericho esconde um segredo chocante. E sem que ninguém saiba, algo sombrio e maligno despertou.


Opinião

  Martha Elizabeth nasceu no Alabama e escreveu a sua primeira história aos onze anos, história que a mãe guarda até hoje. Aos dezoito anos, teve um grave acidente de viação e perdeu o olho esquerdo e parte da cara, tendo sido submetida a várias cirurgias para a reconstruir. Aos vinte e seis anos mudou-se para Nova Iorque com seiscentos dólares dentro do sapato e a bola de cristal da avó debaixo do braço e queria ser a próxima grande dramaturga americana. Das cinco peças que escreveu, três foram a cena mas parece que não eram grande coisa. Trabalhou em publicidade e entretenimento, casou em Florença e escreveu romances, incluindo um sobre amores de unicórnios. Finalmente, em 2003 publicou o seu primeiro livro, Uma Grandiosa e Terrível Beleza. Depois disso escreveu seis livros e participou em dez antologias. Gosta de História, pedicure, do Outono e comboios. Detesta bonecas, palhaços e maus filmes de terror. Apresento-vos Libba Bray.


  Os Adivinhos é o seu sexto livro e o primeiro de uma nova trilogia cujo segundo será publicado para o ano. Venceu um prémio, foi nomeado para outros dois, foi traduzido para italiano, polaco, português do Brasil e agora para a nossa língua. Foi publicado o ano passado.


  Desde que li Uma Grandiosa e Terrível Beleza que Libba Bray se tornou uma das minhas autoras de eleição pelo seu estilo único, pelo seu humor sagaz, pelas suas histórias repletas de sombras, mistérios e esoterismo mas nunca em momento algum, por mais que tenha ansiado por este livro, suspeitei o quão espectacular, o quão fantástico ele poderia ser. Os Adivinhos é aquele livro inesperado, aquele livro que nos agarra, que nos puxa para dentro da sua história com uma tal impetuosidade que torna impossível resistir-lhe. A escrita de Libba, de si única e original, diferente de tudo o que possam imaginar, evidencia-se ainda mais nesta história, tornando-a uma mistura perfeita entre divertida e assustadora, entre brilhante e sombria.


  O maior elogio que lhe posso fazer é que respira-se anos 20 destas páginas. O encanto está nos detalhes mais simples, na descrição das actividades mais corriqueiras como nas mais estranhas, nas expressões que as personagens utilizam, notando-se que houve não só pesquisa como um grande cuidado em retratar-se fielmente a essência dos loucos anos 20. A Lei Seca, os clubes, o jazz, a poesia, o cinema, os cabelos e roupas, as apostas está tudo aqui bem como as seitas, a religião, o preconceito, o bom e o mau, tudo isto é o que encontrarão neste livro.


  E depois temos a grande variedade de cultos e rituais que a autora utiliza para a parte sobrenatural da trama. Apoiando-se na variedade de culturas da América desta época, a autora descreve as simbologias e as crenças, a forma como se misturam, como vão tomando conta da vida moderna tornando-se algo banal e desacreditado até se tornar um passatempo estranho. Também a forma como a religião se torna obcecada nesta época e como o paganismo começa a regressar em força são salientados ao longo da trama, tendo um grande peso nela.

  Com um enredo que desliza na perfeição entre o terror e o riso, entre a beleza e o horror, o racional e o oculto, podemos encontrar uma história que se adensa a cada página. O que parece um enredo simples, não o é de todo. Por trás de assassinatos relacionados com o sobrenatural, esconde-se algo mais, algo que vamos pressentindo ao longo da leitura por palavras subtis, acontecimentos estranhos, coisas de que ninguém fala, personagens cuja presença nem sempre clara, tudo isto, aguça-nos a curiosidade de uma forma mórbida, tudo isto nos deixa pistas que nos fazem devorar cada acontecimento com um olhar mais perspicaz e uma voracidade tenaz. Cheia de segredos, poderes estranhos e profecias, esta narrativa não é apenas o que está a vista, é algo maior, mais complexo e obscuro que nos dará um prazer enorme de desbravar. A aura desta história é efervescente como as bolhas de champanhe rodeada de uma negritude de horror e macabro que a tornam não só interessante mas consegue ser perfeitamente equilibrada.


  E como se tudo isto não bastasse, as personagens deste livro são o cúmulo do soberbo. Adoro as personagens da Libba, a forma como são boas e más, como tanto são bondosas como têm laivos de malvadez e este livro não foi excepção. Da louca Evie à misteriosa Theta, da doce Mabel ao sedutor Sam, do tio distraído ao assistente lindo e calado, todas as personagens deste livro são po-si-ti-va-mente deliciosas. E depois há aquelas personagens que agora podem não nos dizer nada mas que guardam sem dúvida grandes surpresas para os próximos livros. 


  Libba Bray volta em grande às nossas estantes com um livro onde esoterismo, religião, alegria e horror se misturam de forma perfeita para criar uma obra que não vai deixar ninguém indiferente. Os Adivinhos é um livro a não perder pois garanto-vos surpresas não vos vão faltar e, assim que o agarrarem, não vão querer outra coisa porque ele é viciante da primeira à última linha.

7*