sexta-feira, 7 de março de 2014

Opinião - Such Sweet Sorrow

Título Original: Such Sweet Sorrow
Autor: Jenny Trout
Editora: Entangled Teen
Número de Páginas: 304


Sinopse
 Never was there a tale of more woe than this of Juliet and her Romeo...

But true love never dies. Though they're parted by the veil between the world of mortals and the land of the dead, Romeo believes he can restore Juliet to life, but he'll have to travel to the underworld with a thoroughly infuriating guide.

Hamlet, Prince of Denmark, may not have inherited his father's crown, but the murdered king left his son a much more important responsibility---a portal to the Afterjord, where the souls of the dead reside. When the determined Romeo asks for help traversing the treacherous Afterjord, Hamlet sees an opportunity for adventure and the chance to avenge his father's death.

In an underworld filled with leviathan monsters, ghoulish shades, fire giants, and fierce Valkyrie warriors, Hamlet and Romeo must battle their way through jealousy, despair, and their darkest fears to rescue the fair damsel. Yet finding Juliet is only the beginning, and the Afterjord doesn't surrender souls without a price...

Opinião

  Jenny Trout é um pseudónimo de Jennifer Armintrout, a autora da série Laços de Sangue, tal como Abigail Barnette, o seu pseudónimo para os romances eróticos. Blogger e escritora, começou a publicar livros em 2006 e não mais parou. Agora estreia-se como Jenny Trout no YA, com um retelling de duas grandes peças de Shakespeare, Hamlet e Romeu&Julieta.

  Such Sweet Sorrow foi publicado há um mês.

  A ideia por trás deste livro é qualquer coisa de bizarro e simplesmente genial. Conjugar Romeo e Juliet com Orfeu e Eurídice, pegar na mitologia nórdica e ainda juntar Hamlet, pode parecer uma salganhada à primeira vista, mas Jenny consegue fazê-lo, mesmo que, infelizmente, não com o brilho que tal ideia merecia. Algumas falhas fizeram com que esta não fosse uma leitura fantástica como esperava e provaram que mais do que ter as ideias, é preciso saber realizá-las. Para quem já conhece a autora, sentirá que falta algo a este livro, uma certa adrenalina, acção, uma intensidade que este livro não tem. 

  A narrativa começa bem, é certo. A forma como a autora consegue unir Romeo e Hamlet, a forma como ambas as histórias se entrelaçam e daí partem para uma mistura interessante de mitologias, é de uma imaginação fabulosa, algo que se vai confirmando conforme novos elementos aparecem e, principalmente, com o fim do livro e o destino de Juliet. Também na construção das relações entre personagens e na apresentação dos dilemas de cada um, a autora consegue criar algo interessante mas, sim porque há um mas, a história como todo, acaba por não resultar. Apesar de todos os elementos conseguirem de facto encaixarem, o enredo em si não funciona. 

  Primeiro porque, para uma narrativa tão espectacular, é preciso descrições igualmente espectaculares, é preciso acção, sensações, é preciso situar e ligar o leitor à história, e isso não acontece. O enredo é muito rudimentar, confuso, pouco explicativo e demasiado simples ao mesmo tempo. E depois a história é tão básica e tão sem graça! Não há descrições, não há objectivo de história, ou seja, a narrativa parece é vazia e desprovida de sentido. Apesar de todos os elementos fantásticos, a autora não consegue criar algo espectacular, apenas estranho e desinteressante.

  As personagens também não ajudaram, porque apesar das relações entre elas serem interessantes, as personagens em si são pouco coerentes, ora pensam uma coisa mas depois fazem outra, ora só pensam nelas, ora parece que lhes falta inteligência. De todas, Juliet é a única que nos diz alguma coisa, que nos faz sentir alguma coisa. Romeo, bem, parece uma versão ampliada de todos os seus defeitos, o que é irritante, e o Hamlet igualmente. Parecem dois miúdos a embirrarem um com outro porque… Não sei, não consegui perceber.

  Portanto, apesar de toda a imaginação e os elementos espectaculares desta história, Such Sweet Sorrow acaba por não funcionar de tudo.

Sem comentários:

Enviar um comentário