quarta-feira, 9 de abril de 2014

Opinião - Prazer Ardente

Título Original: Scandal in Spring (#4 Wallflowers)
Autor: Lisa Kleypas
Editora: 5 Sentidos
Número de Páginas: 304


Sinopse
Procurou-lhe de novo a boca, abriu-lha, mergulhando naquela seda húmida, quente, com um sabor íntimo que o punha doido.

Depois de três temporadas em Londres em busca de pretendente, o pai de Daisy Bowman informa-a de que deverá arranjar marido. E depressa. E se Daisy não conseguir desencantar um candidato adequado, terá de se casar com um homem da escolha do pai: o cruel e emproado Matthew Swift. Daisy está aterrorizada, mas uma Bowman jamais admite a derrota. E, por isso, a jovem decide fazer os possíveis para arranjar outro pretendente que não Matthew. Mas Daisy não contava com o charme inesperado de Swift… nem com a sensualidade escaldante que depressa brota entre ambos, acabando por descobrir que, apesar de segredos e intrigas que o destino teima em impor, o homem que sempre odiou poderá ser aquele com que sempre sonhou.


Opinião
  Miss Massachussets ’85, licenciada em Ciência Política e autora bestseller, assim é Lisa Kleypas, uma das autoras de romance mais aclamadas da actualidade. Começou aos vinte e um anos, e hoje, entre históricos e contemporâneos, já publicou dez séries, mais de trinta livros e vários contos. Recebeu a distinção de Romance Writers of America, o hall of fame das autoras de romance, entre muitos outros prémios e distinções.

  Prazer Ardente é o último volume da sua série mais aclamada e única publicada em Portugal. Nomeado para o RITA, foi publicado em 2006 e está traduzido para quinze línguas.
A última das encalhadas recebe um ultimato: ou arranja um noivo ou casa com alguém que o pai aprova e ela despreza. Mas o amor tem caminhos sinuosos e, às vezes, o par perfeito está onde menos esperámos. Naquele que é o mais romântico livro da série, Lisa volta a dar-nos uma história de amor recheada de humor, paixão e amizade, cuja essência sonhadora e docemente traquina, reflecte na perfeição a leitora imaginativa, amiga fiel e apaixonada que Daisy é. Como último livro da série, Prazer Ardente fecha com chave de ouro a história das quatro amigas encalhadas que graças a um poço dos desejos, a sua perseverança e personalidades carismáticas, conseguiram conquistar os corações dos seus cavaleiros andantes e os dos leitores que as acompanharam na sua caça ao marido.

  Uma aventura apaixonante pautada por momentos caricatos, romance, reviravoltas e escândalos, bem à maneira das nossas encalhadas, a história de Daisy marca pela sua doçura, ingenuidade e romantismo, sendo de todas, a que mais se assemelha a um conto de fadas. De um lado, o amor escondido, do outro, o da indiferença que muda com um gesto, uma palavra, são os ingredientes para um amor nascido da compreensão e aceitação, composto não só de atracção mas também de crença e amizade. Enquanto casal, Michael e Daisy aconchegam-nos o coração e fazem-nos acreditar que o amor dos livros pode saltar das páginas para a vida real. Da conjugação da racionalidade e dedicação de um com a imaginação e paixão do outro, nasce um amor que, tímido de início, rapidamente se transforma numa relação sólida e extremamente fofa que nos faz suspirar do início ao fim.

  Com presença constante das restantes encalhadas, o livro acaba por não se centrar apenas no casal principal, permitindo-nos matar saudades das outras protagonistas e saber o que lhes tem acontecido, bem como continuar a assistir aos momentos ternurentos de companheirismo entre elas. Aliás, ao longo da leitura podemos deliciar-nos com toda a dinâmica que os quatro casais construíram entre si, seja entre eles, seja com os amigos ou os de fora, povoando assim a narrativa de momentos intímos e familiares, sejam discussões, picardias, desabafos ou travessuras, que levam este romance a outro patamar e, tornam a leitura muito mais divertida e envolvente.

  Contudo, este é o mais fraco dos quatro livros da série, talvez por vir a seguir ao melhor, talvez por não ter tanto enredo ou as personalidades dos protagonistas serem mais suaves, mas a verdade é que, apesar de delicioso, Prazer Ardente tem algo que não nos fascina de maneira absoluta. A atitude de Daisy com Michael muda demasiado rápido e o segredo dele não é desenvolvido de uma forma que nos faça ter interesse até porque é resolvido demasiado depressa e as reacções são demasiado calmas para aquilo que eu esperaria. Numa questão de gosto pessoal, apesar de me identificar com Daisy, a história de amor é muito melosa e calminha demais.


  Como fim de uma série de amores incompatíveis, paixões intensas, diversão e amizade eterna, Prazer Ardente cumpre todos os requisitos esperados, deixando-nos uma sensação de satisfação quando termina, bem como um sorriso sonhador nos lábios.


As minhas Opiniões da série

Sem comentários:

Enviar um comentário