quinta-feira, 22 de maio de 2014

Opinião - Princesa Mecânica

Título Original: Clockwork Princess (#3 As Origens)
Autor: Cassandra Clare
Editora: Planeta Manuscrito
Número de Páginas: 392


Sinopse

Último livro da sequela de sucesso da série Caçadores de Sombras, que nos mostra as suas Origens. Tessa Gray devia estar contente, como todas as noivas! Mas, enquanto se prepara para o casamento, uma rede de sombras envolve os Caçadores de Sombras do Instituto de Londres. Surge um novo demónio, ligado pelo sangue e secretismo a Mortmain, o homem que tenciona usar um exército de impiedosos autómatos, os Instrumentos Infernais, para destruir os Caçadores de Sombras. O perigo, a traição, os segredos, os feitiços, o amor e a morte entrelaçam-se quando os Caçadores de Sombras quase se autodestroem na conclusão de cortar a respiração da trilogia de os Caçadores de Sombras, as Origens.


Opinião
  Das revistas cor-de-rosa à lista de bestsellers do New York Times, de Teerão para Nova Iorque, das livrarias para o cinema, Cassandra Clare tornou-se um dos nomes mais amados da literatura YA desde o seu primeiro livro. Hoje, sete anos depois, continua a sua escalada para o sucesso, estando a dias de publicar o último volume da sua primeira série, Caçadores de Sombras.

  Para já, a autora prepara-se para publicar para o ano, a sua terceira série no mundo dos Caçadores de Sombras, enquanto nos desvenda algumas coisas da trilogia que se seguirá, The Last Hours, que será publicada em 2017 e será uma continuação de As Origens, uma vez, que terá como protagonistas os filhos dos protagonistas desta última.

 Princesa Mecânica é o final da trilogia que antecede Caçadores de Sombras temporalmente. Publicado o ano passado, está traduzido para quinze línguas e a sua versão manga será publicada este ano.

  Oh Cassandra. Oh minha querida, querida Cassandra. Como pudeste partir-me o coração e, ao mesmo tempo, enchê-lo com tamanha felicidade? É em glória, brilhante e reluzente, repleta de sorrisos banhados em lágrimas, que Cassandra Clare termina esta trilogia que, com a sua beleza obscura e ousadia requintada, já me havia arrebatado o coração e a alma. Princesa Mecânica é um final perfeito, um final que nos quebra e preenche, um final poderoso, um final como poucos conseguirão ser. Tempestuosamente emocional, é um livro que nos destrói, que nos adoça, que nos faz rir. É uma história sobre o amor, em todas as suas formas, sobre a esperança que navega no tempo e o sacrifício em prol de quem importa. É o final feliz mais triste e perfeito de sempre.

  Enquanto percorremos estas páginas, sensações antagónicas invadem-nos. Chorámos e sorrimos ao mesmo tempo, trememos de medo e esperança em simultâneo. A doçura agrilhoa-nos e a crueldade aconchega-nos. É felicidade destruidora e tristeza maravilhosa. E nem isso pode descrever toda a magnificência, toda a glória que é Princesa Mecânica. Página a página, não há um momento em que não sejamos devastados, um único momento em que não sintamos um assolar de emoções demasiado intensas. Cassandra tortura-nos com cada possibilidade, com cada devastadora certeza e com cada raio mínimo de esperança, envolvendo-nos numa corrida contra o tempo, contra a morte e a destruição em que ninguém poderá estar a salvo da dor.

  Numa conjugação perfeita entre a fantasia e o ambiente elegante e sombrio de Londres ou a rudeza enfeitiçante de Gales, somos levados numa viagem de cortar a respiração em que a adrenalina é sufocante e as reviravoltas tanto surpreendentes como agridoces, uma viagem em que ciência e a magia ora se degladiam ora se unem numa amizade pura e inesperada. Pesadelo em forma de morte, cavernas e autómatos, sonho em forma de livros, colares e ressurreição, esta história é antes de mais e sempre, uma história de amor intemporal, um amor nascido da amizade e compreensão, um amor que nem a morte pode destruir, entre três pessoas unidas pelas circunstâncias, pelos gostos, três almas gémeas que suportam qualquer dor pela felicidade de um dos outros.

  Uma despedida gloriosa, Princesa Mecânica é um hino à amizade, à família e ao amor. É uma história de perdão, de regresso e de encontros. Despedida de um amor que espera através dos tempos, despedida do amor de sempre, despedida da alma gémea e melhor amigo, este livro é também sobre oportunidades e esperanças. Oportunidade de ser feliz e esperança de voltar a amar. Sonhos foram conquistados, outros formaram-se, alguns desenterraram-se. Assim foi esta história, e tão mais que não há palavras que cheguem para a descrever.


 Um dos melhores finais que alguma vez li, Princesa Mecânica termina de forma arrebatadora uma trilogia de beleza imparável, dando-nos o final perfeito para Will, Tessa e Jem, um final de lágrimas e sorrisos. Um final demasiado triste e feliz. O final perfeito. 



As Minhas Opiniões da Série


2 comentários:

  1. Olá =)

    Excelente opinião! Conseguiste refletir muito bem sobre a história e voltei a ficar emocionada, ao recordar-me.

    O final perfeito, tão triste mas belo e feliz ao mesmo tempo. Não podia haver melhor final. Sempre pensei que seria algo do género, mas não que aquilo acontecesse no epílogo! Aquele reencontro fantástico que me emocionou tremendamente.

    Este deve ter sido dos livros que mais me emocionou (talvez só A Rosa Rebelde poderá ter-me emocionado mais). Nunca pensei que me emocionasse tanto com o Will, principalmente porque o Jem era o meu favorito. O que aconteceu aos três foi tão arrebatador, tão esmagador e tão triste que não podia haver outro final. Não podia haver nada diferente. Nada que fosse tão perfeito.

    O Jem continua a ser o meu favorito. Pus-me várias vezes no lugar das três personagens, para as compreender melhor dos seus diferentes ângulos e compreendi-as a todas. Gostei do que aconteceu ao Jem (isto soa mal LOL), mas fez todo o sentido para a história e para aquele FINAL PERFEITO! E a Tessa é uma excelente personagem, o tipo de personagem feminina que eu gosto. E aqui está uma história de um amor que não é apenas aquele mais abordado, aquele mais "básico", mas sim o amor total, a todos os níveis, de todas as formas, com todas as causas e consequências. É um hino ao amor, à amizade, à honra. A amizade, que é amor, está muito bem retratada aqui, com o Jem e o Will. Fantástico. Foi outro dos fatores que mais me emocionou. Aqueles momentos...! Ai =D

    Enfim, recordar esta história é sempre maravilhoso! Obrigada =)

    Beijinhos e boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Maria!=D Foi uma opinião... difícil de escrever.

      Pois não, não podia! Aquele epílogo matou-me bocadinho a bocadinho, e depois de 16 horas ainda estou a sofrer só de pensar nele!

      Completamente!*.*

      O meu favorito é o Will!=D Eu por acaso já estava desconfiada do que tinha acontecido ao Jem e acertei eheheh a Tessa é tão fantástica, quero ser como ela quando for grande! A Cassie fez um excelente trabalho na relação deles =')

      beijinhos e boas leituras!

      Eliminar