segunda-feira, 9 de junho de 2014

*A Rainha Manda...* Daughter of Smoke and Bone, Laini Taylor


 Depois do lançamento da rubrica conjunta desenvolvida por mim e pela p7 do Bookeater/Booklover, aqui fica o resultado do primeiro livro lido a pedido da minha companheira de leituras - Daughter of Smoke and Bone, da Laini Taylor. 


  Tal como haviámos explicado neste primeiro post, depois de lidos os livros, cada uma de nós fez algumas perguntas à outra, agregadas a temas,  sobre o livro que escolhemos para ela. Estas são as perguntas que a p7 me fez, e aqui, podem encontrar as que lhe fiz sobre a sua leitura, O Filho das Sombras, de Juliet Marillier.

  Nota: Nem as perguntas, nem as respostas têm spoilers.



p7: Akiva e Karou: tendo em conta a sua história, serão um par ao estilo de Romeu e Julieta?
Eu: Poderiam ser, sim, mas a relação da Karou e do Akiva é diferente à sua própria maneira. Apesar de serem ambos amores proibidos devido às rivalidades entre as suas "famílias", a relação deles é mais madura, tem outra intensidade e, além do mais, tem muita história por trás que o Romeu e a Julieta não têm. O próprio futuro deles é muito mais complicado que o de Romeu e Julieta, porque vamos a ver, estes podiam ter resolvido as coisas de outra forma, já a Karou e o Akiva têm muito mais drama e tragédia em cima deles do qual não se podem safar sem mais nem menos. Resumindo: há o Romeu e a Julieta, e depois há o Akiva e a Karou.


p7: Zuzana: a melhor amiga que uma heroína paranormal pode ter?
Eu: Oh a Zuzana... Sem dúvida! Não só pela sua personalidade completamente louca e divertida mas também pela sua capacidade em aceitar rapidamente o inexistente/impossível. Tenho pena de não haver mais cenas com ela neste livro porque todas em que ela apareceu foram geniais. A Karou tem uma sorte daquelas!


p7: Brimstone: um pai para Karou, é também aquele que faz coisas difíceis para que outros não tenham de o fazer. Que achaste dele?
Eu: O Brimstone é uma personagem misteriosa, com um grande papel na vida da Karou, mas que acaba por revelar ser muito mais do que aparenta, uma das razões porque é uma das minhas personagens preferidas. Gostei muito dele e da relação dele com a Karou, fez-me lembrar um pouco a relação do Dumbledore com o Harry Potter, na verdade. Mas o Brimstone é uma versão dark e excêntrica do Dumbledore... Acho que é uma das razões porque o adoro.



p7: A parte mais significativa do desenrolar da narrativa é uma certa reviravolta lá mais para o fim. Mudou a tua perspectiva da história? Estavas à espera dela?
Eu: Mudou. Completamente. Não, de todo! A Laini foi tão mas tão inteligente nessa reviravolta, porque além de nos deixar de quiexo caído, ela aproveita isso para nos explicar uma data de coisas que altera toda a nossa perspectiva da história. Não estava à espera mas gostei muito do que ela fez. Aliás, acho que é uma das razões porque este livro é tão bom.



p7: O livro apresenta uma interpretação diferente daquilo que concebemos como anjos e demónios, que pensas dela? (Especialmente os chimaera.)
Eu: Penso que está bastante interessante e orginal, já que acaba por se diferenciar daquilo que estámos habituados. Principalmente os chimaera que me fazem lembrar a mitologia egípcia e indiana, mas apesar de terem ideias destas, a autora não deixou de acrescentar algo novo e imaginativo. A Laini tem uma imaginação absolutamente brutal! Já os anjos, bem é mais subtil, e por isso que gostava de ver mais sobre eles.

p7: Dentes: a Karou procura-os sem saber para que são usados. Surpreendeu-te descobrir o seu fim?
Eu: Sem dúvida. Apesar de todas as teorias estranhas e arrepiantes que me vieram a cabeça, o seu real objectivo deixou-me de boca aberta. Quem é que se ia lembrar disso?



p7: Que te pareceu a escrita da autora?
Eu: Linda. Maravilhosamente lírica e excêntrica ao mesmo tempo. E é daquelas que extravasa emoção ao mais pequeno pormenor, o que é fantástico e torna as cenas mais emocionantes ainda melhores.

p7: Sentes que a sua escrita ajudou a construir o mundo apresentado, tanto o nosso, como o outro mundo?
Eu: Sim. Principalmente o "outro mundo", porque a escrita dela é tão irreal, bonita e onírica, que nos permite entrar neste mundo de cabeça, não notámos a travessia do nosso mundo para o fantástico, é como se fosse algo natural. Como se fosse real. É maravilhoso!

p7: Ficaste fã do sentido de humor da escrita?
Eu: Completamente! Não é um humor muito sombrio ou exagerado, é excêntrico mas, ao mesmo tempo, muito simples, o que não deixa de ser genial.


Para quem tiver curiosidade acerca deste livro, pode ler a minha opinião ao Daughter of Smoke and Bone.


E agora, querem saber as leituras para este mês?


A Rainha Manda...
A p7 este mês escolheu para mim o Throne of Glass da Sarah J. Maas :
"Escolhi este livro para a Patrícia pela mesma razão que ela escolheu o meu: uma necessidade um tudo-nada egoísta de ter mais alguém a apreciar o quão fantasticamente fabuloso ele é. (Sem pressão, Patrícia.) Uma heroína tão fascinante (Celaena!), um mundo com um potencial enorme, uma história absorvente e cheia de momentos emocionantes - tudo razões pelas quais gostei, e que espero que te agradem. Oh, e gostava de ver o que pensas do Chaol e do Dorian."


Eu escolhi para a p7 A Noite de Todas as Almas da Deborah Harkness e a explicação está no blogue dela.



Sem comentários:

Enviar um comentário