domingo, 15 de junho de 2014

Opinião - Roma 40 d.C.

Título Original: Roma 40 d.C. (#1 Roma)
Autor: Adele Vieri Castellano
Editora: Quinta Essência
Número de Páginas: 428


Sinopse
O fascínio da Roma antiga ganha vida num romance de tons sedutores e misteriosos.

Roma 40 d. C. Gaio Júlio César Germânico, Calígula, é imperador. Marco Quinto Rufo é o segundo homem mais poderoso de Roma. Lívia Urgulanila tem um passado para esquecer. Ele é um homem endurecido pela floresta germânica, bonito e forte, que não conhece o medo ou limites. Ela é uma aristocrata refinada e arrogante cujo destino já está escrito.
Mas os deuses decidiram de outra forma e quando Rufo a toma para si, não imagina remotamente as consequências do seu gesto. Roma não é uma província onde tudo, incluindo raptar uma mulher, é permitido. E mesmo que o próprio Calígula decida dar-lha, conquistar o coração de Livia irá ser a tarefa mais difícil e temerária que Rufo já empreendeu.
Irá Lívia entregar o seu coração a um homem cruel que não hesita diante de nada?



Biografia
  Aos nove anos, Adele escreveu o seu primeiro conto e decidiu nesse dia o pseudónimo com que viria a assinar os seus livros, escolhendo o nome da da sua bisavó. Nascida em meados dos anos sessenta, italiana, Adele viveu muitos anos em França, mas hoje vive em Milão. Os seus amores são os livros, a escrita e a História Antiga, na qual se inspirou para escrever o seu primeiro livro.

  Roma 40 d.C. foi publicado em 2012 e foi o primeiro romance da autora, iniciando a sua trilogia sobre a Roma Antiga, da qual faz parte uma prequela sobre o protagonista deste livro. Portugal é o primeiro país onde é traduzido.


Opinião
  O mais poderoso Império do Mundo Antigo é o surpreendente palco deste romance, onde os deuses brincam com os fados, provocando paixões inesperadas, ciúmes violentos e desejos intensos. Roma 40 d.C. conquistou-me a atenção desde o primeiro momento em que o vi, mas nunca pensei que esta leitura se revelasse a surpresa fantástica que acabou por ser. Com uma escrita cuidada mas que não deixa de ser intensa e provocadora, Adele Vieri Castellano envolve-nos no ambiente perigoso e intenso da Roma de 40, transportando-nos numa viagem única e apaixonante, de Roma à Cápua, dos bairros pobres ao palácio imperial, do frio ódio ao mais quente dos amores.

  Começa lentamente, esta história sobre destinos, poder e amores, mas facilmente somos envolvidos pelo ambiente, tão cuidado e realista, intrigante e cruelmente belo, que parece levar-nos através do tempo até à Roma das legiões, dos deuses e imperadores que ainda hoje mexe com o nosso imaginário. Com uma narrativa povoada das expressões próprias da época, somos apresentados aos caprichos, às intrigas e ódios de um reinado de terror e promiscuidade, a uma sociedade que se dizia civilizada mas muitas vezes se deixava levar pelos seus instintos mais animais e a um mundo tão requintado e sedutor quanto bárbaro e cruel. Imiscuindo ficção e realidade de uma forma subtil e quase perfeita, apesar de por vezes ser demasiado pausado, este livro seduz-nos aos poucos e poucos.

  Apesar de haver um casal protagonista, são várias as histórias, os amores que nos são contados ao longo destas páginas, desde proibidos a antigos, de inesperados a nascidos do mais completo ódio. Entrelaçados uns nos outros e na narrativa, cada um leva o seu tempo a acontecer, uns mais lentamente que outros, o que nos permite conhecer cada história e personagem tão bem quanto a principal, o que também acabou por provocar, indirectamente, uma menor ligação às personagens, já que não há nenhuma com quem sejamos levados a ter uma relação de quase exclusividade como costuma acontecer nestes romances. Estas relações primam não só pela sensualidade como também pela sinceridade, não existindo pudores ou espaço para vergonhas, o que permite uma total naturalidade não só nos envolvimentos como na forma como as relações e os sentimentos são vistos.

  Mesmo que não tenhamos uma ligação próxima com às personagens de Adele, há algo de atractivo nelas, pelas várias camadas que cada uma parece ter, desde a doce mas sarcástica Lívia ao cruel e apaixonado Marco. Estes, os protagonistas desta história, conquistam-nos pela sua relação de amor – ódio, a que não faltam farpas e beijos, e que vai mudando para algo mais do que desejo e indiferença. Tenho pena que tenha faltado essa ligação, porque como casal, Marco e Lívia têm uma história fora do comum. Quanto às restantes personagens, são interessantes mas gostei principalmente do quão fiel a autora foi às personagens baseadas em figuras históricas, como Calígula, Cláudio e Messalina. Ganha, sem dúvida, pontos por isso.


  Cheio de tentações, e contudo imperfeito, Roma 40 d.C. foi uma surpresa fantástica que me permitiu horas de leitura de puro entretenimento num ambiente poderoso mas pouco explorado, que me deixou desejosa de ler mais livros da autora. 

1 comentário:

  1. Adele Vieri Castellano6 de julho de 2014 às 21:56

    Thanks Patricia for your review, I'm flattered that my characters have also attracted attention as a reader like you ... a hug from Italy and thanks for reading!

    ResponderEliminar