domingo, 13 de julho de 2014

Opinião - Deusa

Título Original: Goddess (#3 Starcrossed)
Autor: Josephine Angelini
Editora: Planeta Manuscrito
Número de Páginas: 328


Sinopse

Após libertar por acidente os deuses do seu cativeiro no Olimpo, Helena tem de encontrar uma forma de os voltar a aprisionar, sem dar origem a uma guerra devastadora. Mas os deuses estão zangados.
Para piorar a situação, o Oráculo revela que um tirano diabólico se esconde no seu seio e que fomenta a discórdia entre o grupo outrora sólido de amigos.
Uma conclusão convincente de Josephine Angelini da trilogia Predestinados magistralmente tecida, em que uma deusa se deve elevar acima de tudo e de todos para mudar um destino que foi escrito nas estrelas.


Biografia
  Quando a mulher de um agricultor no Massachusetts ficou grávida pela oitava vez, teve a certeza que ia ter um rapaz, tanta certeza que até escolheu o nome para o mais novo rebento da família, Joseph. Só que quando a criança nasceu era uma menina, mais uma para juntar às outras seis que já tinha lá em casa. Assim Josephine cresceu rodeada de mulheres e bem, era a mais nova, a mais baixa e tinha a mania que era esperta, uma combinação de trazer problemas. Mais tarde foi estudar artes cénicas para Nova Iorque com especialização em clássicos e hoje vive em Los Angeles com o marido que escreve guiões mas atenção, ela ainda sabe conduzir um tractor.

  Deusa é o último volume da sua primeira trilogia dedicada aos mitos gregos. Publicado em 2013, está traduzido para oito países.



Opinião
  Com ousadia e romantismo, Josephine Angelini atreveu-se, brilhou e superou-se nesta história de deuses e heróis, guerras e amores, recontando de uma forma deliciosa e preciosa a Guerra de Tróia, onde entrelaçou na perfeição o mundo moderno com os mitos antigos e a irreverência do nosso tempo com as crenças de uma civilização perdida. Com Deusa, a autora termina de forma gloriosa e explosiva essa história, num final capaz de quebrar corações e cortar respirações, um final agridoce e surpreendente que fecha em beleza uma trilogia arrebatadora como foi Predestinados.

  Ao longo das últimas páginas desta história, somos arrastados numa aventura vertiginosa, onde o destino, com a sua mão cruel e imprevista, nos faz reviver o passado trágico, parecendo condenar heróis e amantes ao mesmo triste fim que, reencarnação atrás de reencarnação teve de sofrer uma e outra vez. Mas esta é uma geração diferente, uma geração que aprendeu com os erros e conhece o seu potencial, uma geração nascida da coragem mais louca e do amor mais indomável, capaz de acreditar que ninguém pode tecer o seu destino sem ser eles mesmos. Mortais em corpo, deuses em espírito, eles irão reviver os seus passados, aceitar quem são e reescrever novamente o seu destino, numa batalha épica da qual recordam cada passo, contra deuses e monstros, família e amigos, por um futuro longe da danação e onde exista a paz que sempre almejaram.

  Como num anfiteatro que ganha vida, cada personagem se coloca no tabuleiro revelando a sua verdadeira identidade, quem afinal foram quando Tróia caiu, se herói, se general, se rei, se princesa ou príncipe. Mas, esta narrativa, cheia de adrenalina, está repleta de reviravoltas e revelações inesperadas, que no último momento alteram as regras do jogo, podendo mudar o que os deuses escreveram há mais de três mil anos numa noite fatídica. Profecias mal-entendidas, papéis importantes revelados no último momento ou poderes até aqui secretos, são algumas das surpresas que farão com que o passado possa ser reescrito mas, como toda a tragédia ou mito grego, os actos têm consequências, e um final finalmente feliz não poderá deixar de ser agridoce.

  Espelhos dos seus passados eus, Helena, Heitor, Lucas, Oríon, e todos os outros, revivem em glória e beleza os heróis que um dia foram, sem esquecerem quem esta vida os tornou. Assumindo os seus papéis, mesmo sabendo o que os reserva, os Rebentos superam-se, excedem-se em poder e, combinando o semideus e o mortal, finalmente esquecem o medo e acreditam no futuro.

  Deusa termina de forma épica uma trilogia para a qual tenho demasiadas palavras e sentimentos. Não consegui nem conseguiria explicar-vos como idolatro Josephine Angelini e quão extraordinária é esta trilogia, por isso só tenho um conselho. Leiam, apaixonem-se e revivam a Guerra de Troía neste palco dos nossos dias.  


As Minhas Opiniões da Trilogia

4 comentários:

  1. Ah, sua maldita. Ainda me deixaste com mais vontade (como se tal fosse possível) de me agarrar a este último e tão, tão precioso volume. Ai, estou aterrorizada em lê-lo, a sério, porque sei que é o final de uma das minhas trilogias favoritas e vai ser uma dor imensa despedir-me destas personagens. =(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só te posso dizer que vai ser uma despedida agridoce digámos assim, mas que vai valer muito a pena! A Josie esmerou-se neste livro *.*

      Eliminar
  2. Olá :) Já publiquei aqui algumas vezes, mas assinava como Ana (não sei se te lembras:P) mas de qq das formas é só para dizer que citei-te num post do meu blog, porque quem me inspirou a ler esta trilogia, espero que não te importes. Beijinhos

    http://booksandcoffee10.blogspot.pt/2014/10/sipnose-como-se-desafia-o-destino-uma.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que me lembro!!=D E não, não me importo, fico sim é muito feliz por uma opinião minha te ter levado a ler essa trilogia. Obrigada!!

      Eliminar