sábado, 19 de julho de 2014

Opinião - Para Sir Phillip, com Amor

Título Original: To Sir Phillip, with Love (#5 Bridgerton)
Autor: Julia Quinn
Editora: ASA
Número de Páginas: 336


Sinopse
Sir Phillip sabia que Eloise Bridgerton tinha já 28 anos e era, pois claro, uma solteirona. Foi por isso mesmo que pediu a sua mão em casamento. Sir Phillip partiu do princípio de que Eloise estaria desesperada por casar e não seria exigente ou caprichosa.
Só que… estava enganado. No dia em que ela lhe aparece à porta, torna-se óbvio que é tudo menos modesta e recatada.
E quando Eloise finalmente para de falar, ele percebe, rendido, que o que mais deseja é… beijá-la.
É que, quando recebeu a tão inesperada proposta, Eloise ficou perplexa. Afinal, nem sequer se conheciam pessoalmente. Mas depois… o seu coração levou a melhor e quando dá por si está numa carruagem alugada, rumo àquele que pensa poder ser o homem dos seus sonhos. Só que… estava enganada. Embora Sir Phillip seja atraente, é certo, é também um bruto, um rude e temperamental bruto, o oposto dos gentis cavalheiros que a cortejam em Londres.
Mas quando ele sorri… e quando a beija… o resto do mundo evapora-se e Eloise não consegue evitar a pergunta: será que este pesadelo de homem é, afinal, o homem dos seus sonhos?



Biografia

  Julia Quinn publicou o primeiro livro aos 24 anos e desistiu de Medicina para continuar a escrever histórias de amor. Tudo culpa do gelado e de um romance. Dedica todos os seus livros ao marido e só escreverá romances contemporâneos se os históricos não ficarem em segundo plano. Só cometeu dois erros nos seus livros: trocou a cor dos olhos de uma personagem em três livros e descasou uma personagem já casada no final de outro. Mesmo assim, nós, os fãs, adorámo-la incondicionalmente.

  Escreve há dezanove anos, tem vinte e três livros publicados e, recentemente escreveu um comentário para a nova edição de Mansfield Park da coleção Signet Classics, para além de participar em muitas antologias com outras autoras. Tem demasiados autores preferidos mas, todas as semanas na sua página do Facebook, recomenda um romance histórico. 

  Para Sir Phillip, com Amor é o quinto livro da sua série mais amada, Bridgerton, e foi publicado em 2003, contando com dezoito traduções.



Opinião
  É com muito charme, romantismo e uma certa dose de sarcasmo, que Julia Quinn nos faz adorar cada uma das suas histórias, contos cheios de peripécias, declarações e gargalhadas que nos aquecem o coração e nos deixam a sorrir dias depois de termos lido a última página. Mas, apesar de adorar esta autora e os seus livros, confesso que esperava menos deste, que as expectativas não eram tão altas, contudo, estava completamente enganada. Para Sir Phillip, com Amor é tão requintado, doce e divertido como qualquer um dos seus irmãos, só que tem também, uma individualidade muito própria, retrato da sua protagonista, sendo um livro vívido, resmungão e enternecedor de uma maneira que é só sua. Depois de nos ter apaixonado, Quinn prova que é capaz de inovar, de surpreender e mesmo assim, manter a magia.

  Centenas de cartas, um primeiro encontro acidentado e duas personalidades distintas, fazem desta história uma caixinha de surpresas que tem de tudo e onde tudo pode acontecer, desde travessuras e beijos roubados à discussões acesas ou mesmo segredos sombrios. O que começa com algo demasiado formal e tímido ou, até mesmo, embaraçoso, transforma-se em algo suave, até mesmo escaldante e, quando essa mudança se dá, o leitor sem se aperceber, já está completamente absorvido nestas páginas, tão iguais e tão diferentes do que se esperaria. Numa narrativa em que acidentes acontecem e partidas se fazem, as gargalhadas são naturalmente repentinas e os sorrisos impossíveis de apagar, algo que é já habitual nos livros desta autora é certo, mas que neste livro parecem acontecer com ainda mais facilidade.

  A verdade é que não sabemos o que nos espera quando iniciámos esta história. Não estámos a espera do mau humor dos seus protagonistas nem da sua falta de jeito. Não estámos a espera de duas crianças terríveis mas incrivelmente solitárias. Não estámos a espera que o amor de Eloise e Phillip seja tão bonito. E, talvez, por isso, este é um livro um bocadinho diferente dos outros, um bocadinho mais especial. Estranhamente, este é também o único livro da série que aborda assuntos mais dramáticos e reais, apresentando uma vertente mais séria que não é costume encontrarmos em Quinn mas que, não torna este livro menos prazeroso que os restantes. Aliás, penso mesmo que é este choque de realidade que nos faz apreciá-lo ainda mais.

  Eloise é uma irmã Bridgerton que pode passar um pouco ao lado mas, garanto-vos, quando a conhecemos, ela torna-se de imediato uma das nossas preferidas. Faladora, teimosa, dona do seu nariz e de uma fúria lendária, a quinta criança de Violet tem um charme que é único e a torna isso mesmo, única entre as demais. Já Phillip, faz-me lembrar um pouco o Monstro da Bela e o Monstro pela sua falta de jeito para lidar com os outros, pela sua fúria imediata e pela sua resmunguice infinita. Juntos, eles são dinamite, e é impossível não torcermos por eles. Mas, a jóia da coroa, ou melhor, jóias, deste livro, são Oliver e Amanda, os filhos de Phillip. Terríveis, travessos, autênticos monstrinhos, eles são a coisa mais fofa deste mundo.

  Inesperadamente, Para Sir Phillip, com Amor tornou-se um dos meus livros preferidos desta série. Aliás, inesperadamente não. Afinal, este pode não ser perfeito como o anterior mas, é nas suas preciosas imperfeições que está a verdadeira beleza de um sentimento que nasce quando e onde menos se espera.



As minhas Opiniões da Série

1 comentário:

  1. De toda a série, esse não é o meu livro favorito, mas nos conta uma história cheia de elementos para um bom romance. Gostei de ver o amor surgir aos poucos e do quanto Eloise foi importante na vida de Phillip e na relação dele com os filhos. Julia é sempre Julia!

    Se puder dar uma passadinha no meu blog, tá bem no comecinho, beijos
    http://manualinvertido.com/

    ResponderEliminar