sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Opinião - Comandante Serralves, Despojos de Guerra

Título Original: Comandante Serralves - Despojos de Guerra
Autor: Carlos Silva, Vítor Frazão, Inês Montenegro, Ana Filipa Ferreira, Joel Pulga e Rui Leite
Editora: Imaginauta http://imaginauta.net
Número de Páginas: 158


Sinopse
Depois da invasão Pahoehoente, a Aliança Humana trouxe paz e prosperidade ao Sistema Solar. Contudo trouxe também a supressão da cultura, a opressão e a padronização dos povos.

Existe, porém, uma lenda que há várias gerações traz esperança a todas as nações livres. O seu nome é: Comandante Serralves

Suba a bordo da nave Maria e deixe-se levar por um universo de relatos de resistência e luta. Conheça as muitas caras e corpos do Comandante e deixe-se maravilhar pelas comunidades que colonizaram os planetas de Mercúrio a Urano. 

Que despojos de guerra contra os Pahoehoentes são esses que ainda hoje trazem perigo às nações livres? Que artefactos se escondem em torno do Sol que podem desiquilibrar o braço de ferro entre Serralves e a Aliança?


Opinião
  Escrito a seis vozes, Comandante Serralves é uma antologia corajosa, tão divertida quanto séria, que nos abre as portas a uma espécie de Guardiães da Galáxia em bom português, demonstrando claramente, que num país supostamente apagado no género da ficção científica, afinal, existe uma geração de autores capazes de escrever ficção científica tão boa quanto a que se escreve lá fora.

  Enquanto a escrita de uns se equilibra perfeitamente com a de outros, outros destacam-se pela diferença. Se uns são mais divertidos e cheios de acção, outros são mais sérios, introspectivos e emocionais. Mas no seu tudo, existe um equilíbrio quase perfeito entre os contos e, as diferenças entre si, colmatam as falhas que possam exisitir.

Métodos de Evasão, Carlos Silva - Um bom início para a antologia, cheio de acção e humor cuja única falha é a apresentação um pouco abrupta deste mundo. 4*

Sinais, Vítor Frazão e Despojos de Guerra, Carlos Silva - Complementam-se com o anterior, sendo talvez os contos mais equilibrados da antologia. Com tanto humor e acção como Métodos de Evasão, são contudo mais desenvolvidos e detalhados. 4* e 4*

Dodgson, Inês Montenegro - O conto mais complexo emocionalmente. Tem uma subtileza que combina bem com a "força bruta" dos contos anteriores. 4*

Das Eigentum, Ana Filipa Ferreira - O conto que mais se diferencia pelo seu lado introspectivo e por relatar um outro lado da história. Podemos duvidar da sua presença aqui mas assim que o terminámos percebemos que acaba por ser essencial para o equilíbrio da antologia. 4*

A Guerra Esquecida, Joel Pulga - Muito mais rico em pormenores que os outros contos, diferencia-se não só por isso, mas por apresentar uma visão mais austera e séria do protagonista, o que ajuda a compreender-nos a complexidade deste personagem. 4*

Static Falls, Rui Leite - O conto mais longo e, estranhamente, o mais confuso. Penso que o estilo do autor se destaca do dos outros em demasia e, o conto precisa de mais objectividade. 3*

No geral, uma antologia promissora, cheia de talento e garra, que espero, seja apenas o início de um longo caminho cheio de surpresas destas.


Sem comentários:

Enviar um comentário