sábado, 29 de novembro de 2014

From Pages to a Movie *A Revolta - parte 1*

Opinião do livro ~ Trailer do filme


  Um dos filmes mais aguardados do ano e o início do fim de um dos maiores franchises do cinema dos últimos anos, A Revolta - parte 1 é a adaptação (de metade) do livro com o mesmo nome de Suzanne Collins e segue-se a Jogos da Fome e Em Chamas.

  A minha única queixa é: isto nunca, nunca devia ter sido dividido. Mesmo que tenha acabado por levar ao pormenor e elevado a qualidade do livro, este filme não devia ter sido dividido, ponto final da conversa. E já que foi, não deviámos ter de esperar um ano por um filme que está pronto. Não é, pura e simplesmente, normal.

  Mas queixas à parte, deixem-me agora dizer o quão maravilhada, apaixonada e arrepiada ainda estou uma semana depois de ter visto o filme. Eu sou daquelas poucas pessoas que adorou o livro e só posso elogiar como se conseguiu passar para a tela o quão psicologicamente fragilizadas as personagens estão, principalmente a Katniss, e como as cenas mais paradas acabaram por resultar em grandes momentos significativos. O filme aliás, elevou e, atrevo-me a dizer, compreendeu melhor sobre o que este livro realmente é do que muitas pessoas. Entre os momentos de acção, os de revolta ou os mais psicológicos, o filme acaba por nos deixar completamente presos aos ecrã, enquanto o horror nos invade e os arrepios nunca nos deixam. 

    Mais uma vez, tenho de elogiar o guarda-roupa (fato da Katniss, mais um toque especial) e os efeitos especiais que transformaram cada momento e cenário numa coisa do outro mundo. As mudanças efectuadas funcionaram muito bem. Não mexendo muito na história, acabou por se conseguir introduzir coisas que melhoraram muito este final, entre elas duas em especial: Effie e, claro, o momento poderoso e emocionante em que Katniss canta The Hangging Tree. Para além disso, ajudou muito podermos visualizar o que se passava nalguns distritos bem como ouvir Gale contar o que aconteceu na noite em que o Distrito 12 pereceu. Foram grandes momentos que deixam qualquer espectador completamente paralisado. Quanto à divisão, já esperava que fosse ali pois parecia-me óbvio mas penso que
o deviam ter terminado uns minutos mais cedo. 

  Quanto ao elenco, nunca é demais dizer o quão espectacular e brilhante a Jennifer Lawrence é. Mais uma vez, ela conseguiu ser a Katniss e, naquele que para mim era o livro/filme mais difícil de representar pelo estado em que a personagem se encontra, ela acaba por brilhar ainda mais. Tive pena de não ver o Josh mais vezes, mas das poucas vezes que apareceu foi o Peeta em absoluto (parabéns pela caracterização já agora). Quanto ao Liam, querido eu até gosto de ti e da tua performance mas caramba a tua personagem continua a irritar-me solenemente de tão estúpido que é. Queria mais de Haymitch, muito mais. Ele fez-me falta mas, em contrapartida, a minha Effie estava esplendorosa como sempre! E claro que eu tinha razão quanto à Natalie Dormer e, mais uma vez, ela arrasou mesmo nas poucas falas que tem. O Sam Claflin, conseguiu, tal como a Jennifer, transmitir o estado perdido do Finnick, e a Julianne Moore foi uma presidente Coin convicente. E o desgraçado do Philip Seymour Hoffman... Ninguém, ninguém seria Plutarch como foste.

  A Revolta - parte 1 é assim, o início de um final muito, muito prometedor e, mais uma prova, em que existem grandes filmes e grandes adaptações que não precisam de nomeações para Óscares e tretas assim para o demonstrar.

2 comentários:

  1. Olá :)

    A coincidência de hoje ao acordar ler duas opiniões que me agradam sobre este filme :). Uma aqui e outra no blog Monster Blues. Isto depois de ler tantas opiniões negativas.
    Concordo com tudo o que disseste. Não, não devia ter sido dividido. Mas tendo sido dividido :), foi muito bom, e a carga emocional foi muito bem transmitida. É pena que as pessoas não percebam que a trilogia não é SÓ jogos, SÓ guerra, mas muito mais do que isso. E este filme foi a prova disso.

    Boas viagens,
    Rosana
    http://bloguinhasparadise.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia Rosana!

      Já na altura em que li a trilogia (quase há três anos, credo como o tempo passa!), não percebi o problema das pessoas com este livro. E com o filme continuo a não perceber, verdade seja dita. Mas fico feliz por tu também teres gostado dele =D

      Espero que daqui um ano estejámos ainda mais satisfeitas com o resultado final.

      Boas leituras,

      Eliminar