sexta-feira, 6 de março de 2015

Opinião - Percy Jackson e o Mar dos Monstros

Título Original: The Sea of Monsters (#2 Percy Jackson)
Autor: Rick Riordan
Editora: Casa das Letras
Número de Páginas: 249


Sinopse
O ano de Percy Jackson foi surpreendentemente calmo. Nenhum monstro se atreveu a colocar os pés no campus da sua escola em Nova Iorque. Mas quando um inocente jogo do mata entre Percy e seus colegas se transforma numa disputa mortal contra um grupo de gigantes canibais, as coisas ficam... digamos, complicadas. E a inesperada chegada da sua amiga Annabeth traz mais más noticias: as fronteiras mágicas que protegem a Colónia dos Mestiços foram envenenadas por um inimigo misterioso e, a menos que encontrem uma cura, o único porto seguro dos semideuses tem os seus dias contados. Nesta emocionante e divertida continuação da série iniciada com Os Ladrões do Olimpo, Percy e seus amigos precisam se aventurar no mar dos Monstros para salvar a Colónia dos Mestiços. Antes, porém, o nosso herói descobrirá um chocante mistério sobre sua família — algo que o fará questionar se ser filho de Posídon é uma honra ou simplesmente uma piada de mau gosto.


Biografia
  Nascido numa família de artistas e professores, Rick Riordan queria ser guitarrista mas acabou por mudar de ideias e formar-se em Inglês e História, tornando-se professor, também. Na juventude metia-se em sarilhos, como criar um jornal a gozar com a escola, o que lhe valeu a equipa de futebol lançar-lhe ovos ao carro. O primeiro livro que leu foi O Senhor dos Anéis, que deve ter lido umas dez vezes. Gosta de mitologia, grega e nórdica, desde que estava na escola básica e tentou publicar o seu primeiro livro aos 13 anos. Não conseguiu. Mas em 1997 publicou o seu primeiro livro, o início da sua série de mistério Tres Navarre. O seu primeiro trabalho foi como director de música num campo de férias, o que o viria a inspirar mais tarde para a sua famosa série, Percy Jackson. Gosta de ler, nadar, tocar guitarra e viajar com a família e desistiu de ensinar mitologia para escrever sobre ela.

O Mar dos Monstros é o segundo livro da série Percy Jackson e foi publicado em 2006. Está traduzido para vinte e sete línguas.


Opinião
  Depois de me ter atrevido a entrar nas aventuras de Percy Jackson e ter descoberto o que andava a perder, Mar dos Monstros era uma leitura obrigatória e, dificilmente, resistível. Excusado será dizer que Rick Riordan não desilude e, mais uma vez, comprova a razão do seu sucesso com um livro que, apesar de não ter um enredo tão interessante quanto o primeiro, mantém as doses de adrenalina e acção que tornam esta série tão viciante quanto o raio de uma tablete de chocolate. Com humor e originalidade, o autor volta a dar-nos uma visão refrescante e moderna dos mitos, neste caso das desventuras de Ulisses, mantendo a essência da lenda enquanto os novos heróis desbravam caminhos só percorridos por pessoal muito corajoso. Ou muito doido. Algo que definitivamente Percy e os seus amigos partilham com os heróis antigos. Desta vez, em pleno mar aberto, os filhos dos deuses têm uma missão quase impossível pela frente e, apesar dos perigos, é garantido que diversão e impertinência não faltarão.

  Confesso, não sou uma fã de Ulisses, daí que quando me apercebi do rumo deste livro tenha ficado um pouco de pé atrás. Claro que eu me tinha esquecido da dose exagerada de espertice de Percy e Annabeth, porque com estes dois, ciclopes, Circe, as sereias e outras coisas, são muito mais entusiasmantes do que foram com o tipo que teve a ideia do maldito cavalo. Mas não menos assustadoras, verdade seja dita. Apesar de deste vez o autor ter-se cingido mais aos acontecimentos mitológicos e, daí que o enredo deste livro não tenha sido tão bom quanto o do seu antecessor, a verdade é que existem vários factores novos e pequenas alterações que ajudaram a manter a originalidade que tanto me havia cativado. Não sei como, mas novamente temos uma narrativa empolgante e viciante, cheia de reviravoltas, algumas não tão surpreendentes quanto outras, onde não faltam lutas, planos malucos mas geniais, piadas sarcásticas e alguma ternura algo inesperada. E depois como senão bastasse toda a correria em alto mar com o tempo muito apertadinho, ainda temos aquele final que promete, oh se promete, um próximo volume algo problemático. Ou muito giro. Não sei, só sei que preciso de o ler.

  O nosso Percy continua na mesma. Sarcástico, impertinente, adorável, essas coisas. Mas desta vez senti mais a sua necessidade de atenção e de agradar ao pai, o que me fez ter vontade de bater no Posídon porque o filho dele foi um herói em todo este livro, demonstrando que apesar de ser um miúdo já tem quase tudo o que um herói precisa de ter e o tipo nem uma carta decente lhe escreve. Como senão bastasse o mistério todo à volta de uma certa profecia que ainda vai dar asneira. A Annabeth continua a menina esperta e corajosa que adorei mas também nela senti alguma fraqueza, afinal por mais fortes que sejamos, um dia temos de aceitar que nem sempre podemos ter tudo o que queremos. Em princípio. Em compensação de termos um Groover muito ausente, mas cujas aparições foram sempre de meter dó e morrer a rir, conhecemos o Tyson, que é muito adorável. Espero que volte a aparecer nalgum dos próximos volumes.

  Mar dos Monstros pode não ter o factor surpresa do livro anterior, mas não é por isso que nos diverte menos. Com uma boa dose de humor e aventura, deixa o leitor empolgado para o que aí vem, isso é garantido.


As minhas Opiniões da Série

Sem comentários:

Enviar um comentário