quarta-feira, 29 de abril de 2015

Tentações: Rainhas Malditas [Planeta Manuscrito]

Seis histórias de seis rainhas que se transformaram em lendas.
Excêntricas, voluntariosas, rebeldes, corajosas, ambiciosas... seis mulheres reais que não puderam escolher o seu destino.



Título: Rainhas Malditas
Título Original: Reinas Malditas
Autor: Cristina Morató
Editora: Planeta Manuscrito
Número de Páginas: 528
Preço: €24,40



*Cristina Morató*
Estudou jornalismo e fotografia e desde muito nova percorreu o mundo como jornalista. Passou grandes temporadas na América Latina e África e em 2005 viajou pela primeira vez para o Oriente, que foi o cenário dos seus últimos livros.
Durante estes anos alternou as viagens com a direcção de programas de televisão e colaborações na rádio.
O seu interesse em recuperar do esquecimento as grandes viajantes e exploradoras da História levaram-na a publicar Memórias de África, Las Damas de Oriente e Cativa na Arábia, traduzidos em várias línguas.
No seu livro anterior Divas Rebeldes, desvenda-nos as luzes e sombras de sete mitos do século xx.
É membro fundador e actual vice-presidente da Sociedad Geográfica Española e membro da Royal Geographic Society de Londres.
Hoje em dia é responsável por uma coluna de opinião na revista Mujer Hoy.



Rainhas Malditas
Sinopse: A vida destas rainhas está longe de ser um romântico conto de fadas. Ainda que a infinidade de filmes e romances nos tenham mostrado a faceta mais amável dos seus reinados, em geral, foram muito infelizes. 

Todas têm em comum a solidão, o desenraizamento, a nostalgia, a falta de amor e o sofrimento por não conseguir dar um herdeiro ao trono. Também partilham a dolorosa perda dos filhos, os fracassos matrimoniais e o sentir-se estrangeiras numa corte onde não eram bem recebidas.

Não tiveram grandes histórias de amor porque os casamentos eram um «assunto de Estado».
Sissi foi imperatriz contra a sua vontade e adoeceu de melancolia. 
Cristina da Suécia, escandalizou pelo comportamento extravagante e ânsias de liberdade. 
Maria Antonieta e Alexandra Romanov partilham um trágico fim. 
A rainha Vitória de Inglaterra e Eugénia de Montijo assumiram com extraordinária dignidade o seu papel nos momentos mais difíceis.

Através dos diários pessoais e correspondência familiar, a autora dá a conhecer ao leitor os factos esquecidos pela História destas rainhas, desvendando os segredos da vida e infelicidade destas mulheres.  Mulheres que não puderam decidir as suas vidas.

Excêntricas, caprichosas, rebeldes, ambiciosas… por detrás de um mundo de privilégios, riqueza e poder, todas foram mulheres de carne e osso obrigadas a carregar sobre os ombros a pesada carga de um império.

São descritas em pormenor as obrigações e humilhações que as rainhas e imperatrizes tiveram de suportar. As mulheres limitavam-se ao papel meramente «decorativo e reprodutivo».

A odisseia das vidas melancólicas de Isabel da Baviera (Sissi), a cativante Maria Antonieta, a rebelde Cristina da Suécia ou trágica czarina Alexandra, a última imperatriz russa, estavam muito longe de um conto de fadas romântico.

Embora a maioria dos filmes mostrem o lado mais glamoroso dos seus reinados, elas têm em comum uma vida de solidão, estranheza, nostalgia, e angústia por não dar à luz a um herdeiro.

Não viveram grandes histórias de amor, uma vez que os casamentos eram alianças políticas. As suas opiniões não eram ouvidas, e não importava que o marido fosse muito mais velho ou um completo estranho.

Algumas destas rainhas sucumbiram à depressão; outras assumiram o pesado fardo das coroas com uma maturidade e dignidade extraordinárias.



Uma Tentação Porque...
É impossível resistir a um livro que retrata a vida de muitas das rainhas que vivem no meu imaginário. Obrigatório, sem dúvida.

Sem comentários:

Enviar um comentário