terça-feira, 28 de julho de 2015

Opinião - Só Se Ama Uma Vez

Título Original: Love Only Once (#1 Malory)
Autor: Johanna Lindsey
Editora: ASA
Número de Páginas: 320


Sinopse

Regina Ashton já recusou tantos pretendentes à sua mão que a alta sociedade londrina a considera uma snobe sem coração. Não podiam estar mais enganados. Órfã desde cedo, Regina é a sobrinha superprotegida de Lord Edward e Lady Charlotte Malory, a quem é muito difícil agradar. Aos olhos dos tios, nenhum dos jovens candidatos é suficientemente bom. Cansada de tão infrutífera busca, a jovem sai de casa numa noite escura, decidida a informá-los de que não pensa casar… nunca! Mas o seu plano coloca-a no sítio errado à hora errada, e é raptada por engano. A sua ira perante a arrogância do raptor, Nicholas Eden, vai inesperadamente dar lugar a sentimentos contraditórios de paixão e vergonha. Aquela noite não mais lhe sairá da cabeça.

O Visconde Nicholas Eden também tinha um plano: dar uma lição à sua amante descontente, raptando-a ao abrigo da noite. Não contava enganar-se na pessoa e arruinar a reputação de uma menina de família. Mas agora, movido pelo desejo mais desenfreado que alguma vez sentiu, é a custo que reconhece que nunca poderá casar com Regina, apesar do escândalo que paira sobre eles.

Implacável, é o destino que os uniu a afastá-los irremediavelmente, ainda que ambos saibam que um amor assim só se vive uma vez…


Biografia
Johanna Helen Howard nasceu na Alemanha em 1952, onde o pai, soldado do Exército Americano, estava colocado. Após a sua morte, mudou-se para o Havai com a mãe.

Ainda andava na escola quando casou em 1970, tornando-se dona de casa e mãe de três rapazes. Mudou-se mais uma vez, para o Maine, depois da morte do marido, para ficar perto da família.

Publicou o seu primeiro livro em 1977 e a partir daí nunca mais parou, sendo hoje uma das autoras românticas mais conhecidas mundialmente. Tem mais de quarenta romances publicados, romances esses que abrangem todo o tipo de épocas e lugares, desde a Idade Média ao Velho Oeste americano.

A sua série mais famosa é a da família Malory, a qual é agora publicada pela primeira vez em Portugal. Só Se Ama Uma Vez é o primeiro volume, originalmente publicado em 1985, e está traduzido em mais de dez línguas.


Opinião
  Muitas são as histórias que a família Malory tem para nos contar. Histórias cheias de peripécias, escândalos e aventuras, repletas de romance ardente e discussões que o são ainda mais. Para azar dos pobres coitados e coitadas que terão esta família no seu futuro, os Malory são ainda detentores de personalidades tempestivas, narizes metediços, donos de toda a razão e punhos mais rápidos que as suas desculpas. Mas, não só de defeitos é feita a família mais famosa de toda a Londres. Sim, eles são conhecidos pela sua libertinagem e rebeldia, por serem manipuladores e terem o gatilho curto. Mas também são conhecidos pela sua beleza e charme, pela sua lealdade à família e porque, quando se apaixonam e assentam, é para sempre. Só Se Ama Uma Vez é a primeira das muitas histórias desta família que Johanna Lindsey tem para nos contar. E que história esta! É com charme , malícia e um toque de humor distorcido e desarmante que esta autora nos apresenta os fogosos Malory, a nossa nova família preferida dos romances históricos.

  A apresentação desta família não podia ter sido mais grandiosa. De desastre em desastre, de escândalo em escândalo, de discussão em discussão, o leitor é completamente envolvido nas peripécias de uma família que só é feliz assim. Desde raptos à bailes, filhos ilegítimos e donzelas desonradas, piratas e ajustes de contas, casamentos impostos e maridos em fuga, nada falta numa narrativa feita para nos deixar a chorar de tanto rir. E podem crer que o vão fazer quando não estiverem a corar com as cenas ardentes com que Johanna nos apanha de surpresa lá pelo meio. Uma mistura explosiva de diversão e paixão, esta história conquista-nos pela sua simplicidade, bem como pelos afectos que a tornam, lá bem no fundo, uma história açucarada. Mas nada de exageros fiquem descansados. Afinal, esta é uma epopeia familiar regida pelas paixões e os temperamentos, pelos desejos e a inconfessável e nunca admitida rendição.

  O que torna este livro tão especial são de facto as suas personagens, principalmente o iráscivel e adorável casal que protagonizam esta história. Regina e Nicholas são teimosos, fervem em pouca água e são incapazes de implorar ou admitir a sua culpa. Estão também , completamente loucos um pelo outro. Isso leva a que passem o livro às avessas enquanto só pensam em estar nos braços um do outro, algo com que o leitor se diverte imenso. É num desfilar de mal-entendidos, provocações, ciúmes e amuos, que vemos este casal andar em volta um do outro, como numa complicada dança que só se aprende com muito treino e afinco. É isso que lhes falta. Treino no amor e numa vida conjunta, e é por isso que vão bater tantas vezes com a cabeça na parede enquanto nós assistimos felizes da vida. E, sejamos sinceros, se é delicioso ver os tios de Regina meterem-se onde não são chamados, protagonizando cenas hilariantes e absolutamente adoráveis, a verdade é que isso só dificulta a vida ao desgraçado do Nicholas, que não fazia a mínima onde se estava a meter e que agradecia um bocadinho menos de intromissão. Teria sido tudo tão mais fácil... e aborrecido.

  Só Se Ama Uma Vez apresenta os Malory, uma família danada que irá seduzir os leitores sem que eles tenham a mínima hipótese. O que eles não sabem, e é melhor não lhes confessarem, é que não há fã de romance histórico que resista a uma família que só respeita as normas da sociedade quando lhes apetece. Que é quase nunca. Indicado para os fãs da família Bridgerton da nossa adorada Quinn, este livro irá deliciar-vos, podem apostar nisso.

2 comentários:

  1. Mau, mau, mau... Estares a aliciar fãs de romance (check) e fãs da família Bridgerton (check) dizendo o que dizes sobre esta série é batotice xD

    ResponderEliminar