quinta-feira, 30 de abril de 2015

Aquisições *Abril*

  Apresento-vos o pior mês de toda a história deste blogue! Que vergonha...

  Infelizmente não li nada de nada. Ando na realidade, a reler as leituras de fim de Março e início de Abril para puder escrever opiniões de jeito, algo que também não existiu nestes últimos dias. Acontece, é a vida e o tempo que passam por nós. É as chatices, a falta de paciência e inspiração. Acontece mas não consigo deixar de me sentir frustrada. Por um lado, precisava desta pausa, é uma realidade. Por outro, só me apetece gritar comigo mesma. Mas enfim, Maio vem aí e com ele as minhas merecidas férias. Façam figas comigo para que este hiatus termine de uma vez.

  Tal como as leituras foram poucas, também, as compras. Excusado será dizer-vos que o mês que aí vem vai ser de arraso porque sinto uma necessidade gigante de comprar livros.

  Enfim, há alturas assim mas acho, acho que vou regressar ao ritmo em breve. Podem ficar descansados que isto foi só umas férias.



Aquisições

 Romance com o Duque, Tessa Dare
Oferta da Topseller, este livrinho foi a minha alegria deste mês porque fiquei imensamente feliz quando soube que esta autora ia ser publicada por cá. Pena é ainda não lhe ter conseguido pegar...


Etiquette&Espionage, Gail Carriger
The Burning Sky, Sherry Thomas
Foram poucos mas muito desejados os livrinhos que me chegaram. O da Sherry Thomas estava na minha lista para comprar há muito tempo pois adoro a autora na vertente romance histórico e estou desejosa de a ler num género completamente diferente. A Gail Carriger é uma autora que quero ler há muito tempo mas, em vez de começar pela sua série mais conhecida, decidi-me por esta porque parece mais o meu género e não vou com tantas expectativas.



O Melhor e o Pior do Mês
Parece-me injusto nomear algum livro visto que ando a reler os poucos livros que li no ínicio de Abril por isso não colocarei nenhum nestas categorias.



A Pobreza que Houve

From Pages to a Movie *Insurgente*

Resultados dos passatempos *Dia do Pai* e *Segredos de Uma Condessa Respeitável*



As Muitas, Imensas Próximas Opiniões

Ainda de Março:



As de Abril:


quarta-feira, 29 de abril de 2015

Tentações: Rainhas Malditas [Planeta Manuscrito]

Seis histórias de seis rainhas que se transformaram em lendas.
Excêntricas, voluntariosas, rebeldes, corajosas, ambiciosas... seis mulheres reais que não puderam escolher o seu destino.



Título: Rainhas Malditas
Título Original: Reinas Malditas
Autor: Cristina Morató
Editora: Planeta Manuscrito
Número de Páginas: 528
Preço: €24,40



*Cristina Morató*
Estudou jornalismo e fotografia e desde muito nova percorreu o mundo como jornalista. Passou grandes temporadas na América Latina e África e em 2005 viajou pela primeira vez para o Oriente, que foi o cenário dos seus últimos livros.
Durante estes anos alternou as viagens com a direcção de programas de televisão e colaborações na rádio.
O seu interesse em recuperar do esquecimento as grandes viajantes e exploradoras da História levaram-na a publicar Memórias de África, Las Damas de Oriente e Cativa na Arábia, traduzidos em várias línguas.
No seu livro anterior Divas Rebeldes, desvenda-nos as luzes e sombras de sete mitos do século xx.
É membro fundador e actual vice-presidente da Sociedad Geográfica Española e membro da Royal Geographic Society de Londres.
Hoje em dia é responsável por uma coluna de opinião na revista Mujer Hoy.



Rainhas Malditas
Sinopse: A vida destas rainhas está longe de ser um romântico conto de fadas. Ainda que a infinidade de filmes e romances nos tenham mostrado a faceta mais amável dos seus reinados, em geral, foram muito infelizes. 

Todas têm em comum a solidão, o desenraizamento, a nostalgia, a falta de amor e o sofrimento por não conseguir dar um herdeiro ao trono. Também partilham a dolorosa perda dos filhos, os fracassos matrimoniais e o sentir-se estrangeiras numa corte onde não eram bem recebidas.

Não tiveram grandes histórias de amor porque os casamentos eram um «assunto de Estado».
Sissi foi imperatriz contra a sua vontade e adoeceu de melancolia. 
Cristina da Suécia, escandalizou pelo comportamento extravagante e ânsias de liberdade. 
Maria Antonieta e Alexandra Romanov partilham um trágico fim. 
A rainha Vitória de Inglaterra e Eugénia de Montijo assumiram com extraordinária dignidade o seu papel nos momentos mais difíceis.

Através dos diários pessoais e correspondência familiar, a autora dá a conhecer ao leitor os factos esquecidos pela História destas rainhas, desvendando os segredos da vida e infelicidade destas mulheres.  Mulheres que não puderam decidir as suas vidas.

Excêntricas, caprichosas, rebeldes, ambiciosas… por detrás de um mundo de privilégios, riqueza e poder, todas foram mulheres de carne e osso obrigadas a carregar sobre os ombros a pesada carga de um império.

São descritas em pormenor as obrigações e humilhações que as rainhas e imperatrizes tiveram de suportar. As mulheres limitavam-se ao papel meramente «decorativo e reprodutivo».

A odisseia das vidas melancólicas de Isabel da Baviera (Sissi), a cativante Maria Antonieta, a rebelde Cristina da Suécia ou trágica czarina Alexandra, a última imperatriz russa, estavam muito longe de um conto de fadas romântico.

Embora a maioria dos filmes mostrem o lado mais glamoroso dos seus reinados, elas têm em comum uma vida de solidão, estranheza, nostalgia, e angústia por não dar à luz a um herdeiro.

Não viveram grandes histórias de amor, uma vez que os casamentos eram alianças políticas. As suas opiniões não eram ouvidas, e não importava que o marido fosse muito mais velho ou um completo estranho.

Algumas destas rainhas sucumbiram à depressão; outras assumiram o pesado fardo das coroas com uma maturidade e dignidade extraordinárias.



Uma Tentação Porque...
É impossível resistir a um livro que retrata a vida de muitas das rainhas que vivem no meu imaginário. Obrigatório, sem dúvida.

Tentações: A Marca de Atena [Planeta Manuscrito]

Acaba de chegar o terceiro livro da nova série Os Heróis do Olimpo



Título: A Marca de Atena
Título Original: The Mark of Athena (#3 Os Heróis do Olimpo)
Autor: Rick Riordan
Editora: Planeta Manuscrito
Número de Páginas: 408
Preço: €17,70



*Rick Riordan*
Autor best-seller do New York Times das séries Percy Jackson e Kane Chronicles. Também é autor de uma série para adultos, que ganhou vários prémios.
Durante quinze anos, Rick ensinou Inglês e História em escolas públicas e privadas em San Francisco Bay e no Texas.
Em 2002, foi agraciado pela Saint Mary’s Hall com o Master Teacher Award e em 2011 recebeu o Children's Choice Book Award for Author of the Year.



A Marca de Atena
Sinopse: Annabeth está aterrorizada; quando pensava juntar-se de novo a Percy após seis meses de separação, graças a Hera, eis que o Campo Júpiter se prepara para a guerra.

Enquanto voa com os amigos Jasão, Piper e Leo no Argo II, a jovem não culpa os semideuses romanos por pensarem que o navio é uma arma grega. Com o dragão fumegante como figura de proa, a fantástica criação de Leo não parece nada amigável.

Annabeth tem esperança de que a visão do pretor Jasão no tombadilho convença os romanos de que os visitantes do Campo dos Bastardos vêm em paz. Mas trata-se apenas de uma das suas preocupações. 

Annabeth transporta consigo um presente da mãe com uma exigência enervante: Segue a Marca de Atena. Vinga-me. A jovem já se sente pressionada pela profecia que envia sete semideuses numa demanda para encontrar – e fechar – as Portas da Morte. Que mais quer Atena dela?

O maior medo de Annabeth, porém, é que Percy possa ter mudado, que se tenha aproximado demasiado dos romanos! O rapaz ainda precisará dos velhos amigos?
Como filha da deusa da guerra e da sabedoria a jovem sabe que nasceu para comandar, mas não quer continuar a viver sem ele.



Uma Tentação Porque...
 Rick Riordan reescreve e altera a mitologia grega de uma forma divertida e original que consegue conquistar até os mais cépticos. A prova está no facto de que, a cada livro, só gosto mais e mais dos livros deste autor.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Resultado Passatempo *Segredos de Uma Condessa Respeitável*

 Com o apoio da  Planeta Manuscrito, tinha para vos oferecer um exemplar do primeiro livro de Lecia Cornwall publicado em Portugal, Segredos de Uma Condessa Respeitável.

  Ora, com a ajuda do random.org, das 104 participações válidas, o número escolhido foi...


73. Cátia (...) Luzia, Alverca do Ribatejo


  Muitos Parabéns à vencedora, a qual já contactei por email, que irá receber em casa este livrinho!

terça-feira, 14 de abril de 2015

Resultado Passatempo *Dia do Pai*

  Com o apoio da  Planeta Manuscrito, tinha para vos oferecer um exemplar do último livro de Asa Larsson publicado em terras lusas, Sacrifício a Moloc.

  Ora, com a ajuda do random.org, das 104 participações válidas, o número escolhido foi...


69. Carla (...) Louro, Almada


  Muitos Parabéns à vencedora, a qual já contactei por email, que irá receber em casa este livrinho!

segunda-feira, 13 de abril de 2015

From Pages to a Movie *Insurgente*

Opinião do livro ~ Trailer do filme

  Adaptação do livro com o mesmo nome de Veronica Roth, Insurgente era um dos filmes mais esperados do ano pelos amantes dos livros, eu incluída.

  Antes de mais, deixem-me dizer que eu sei que este livro não seria fácil de adaptar. Afinal, é introspectivo e complexo, lidando principalmente com a moral e o estado mental da protagonista e dos que a rodeiam. Contudo, não penso que isso seja desculpa para o péssimo trabalho realizado. Sim, era necessário cortar cenas e simplificar a coisa mas isso não significava modificarem a história. Não significava terem apresentado um filme onde não encontrei aquilo que me levou a gostar da Tris e da sua história. A verdade, é que me parece que alguém não compreendeu o que tornou Roth uma autora adorada.
 

  Houve tantos, tantos momentos em que faltou alguma coisa, em que o salto de uma cena para a outra era brusco, tantos momentos mal adaptados ou incompreendidos, tantas personagens mal aproveitadas. Sim, tem acção e sim, tem bons efeitos especiais ainda que exagerados. Sim, alguns cortes ajudaram a que o filme fosse mais fluído e fácil de compreender. Só que, tudo o resto foi tão mal conseguido. Os produtores não compreenderam a mensagem de Insurgente, o livro. Não compreenderam a luta interior da Tris e, pior ainda, deram-lhe tão pouca importância. Para mim, houve imensos sentimentos ao longo da leitura e no filme quase que nem me importava com o que se estava a passar porque tudo realmente importava, pura e simplesmente não estava lá, ou se estava foi tão sem sal que até doeu. Basicamente, Insurgente tornou-se um filme de efeitos especiais e quase que não passava disso.

  Como se não bastasse, estragaram o final, outra vez. Não sei como pensam fazer dois filmes depois disto e muito menos como pensam que irão convencer alguém que será uma adaptação do Convergente porque, sinceramente, cheira-me que não irei reconhecer muita coisa nos próximos filmes. E isso não é bom. Nada mesmo. Compreendam, quem não leu o livro irá às salas de cinema e irá divertir-se mas, quem leu o livro, ficará frustrado e em estado de choque, como eu fiquei.

  Desta vez nem a Shailene salvou a coisa, nem que ela tentasse conseguia porque pura e simplesmente retiraram toda a emoção, revolta e fragilidade da Tris e tornaram-na uma coisinha patética. Só de me lembrar apetece-me bater em alguém. Nem a Kate Winslet brilha, por deus, como é isso possível?? E, a sério que a Naomi Watts é a mãe do Four, neste caso o Theo James? Onde é que acharam que isso era convicente?! E será que não percebem que todos os Intrépidos que entraram com a Tris são importantes? Não, porque nem  a essência das facções me pareça que percebam, sinceramente. 

Estou desiludida, frustrada e irritada. Acho que resume bem a coisa para este filme. Permitam-me que vá ali sofrer e remoer para um canto, que bem preciso.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Aquisições&Leituras *Março*

  Março foi um mês da treta. Não tive tempo para dedicar ao blogue, andei a ler o mesmo livro dias e dias apesar de o estar a adorar e, sinceramente, acho que tenho de me preparar psicologicamente para o facto que este deverá continuar a ser o ritmo normal do blogue agora que sou uma adulta trabalhadora.... Que seca!!! Eu bem gostava de não precisar de dormir e não ter vida social mas esta é a realidade e eu tenho de aprender a geri-la e deixar de pensar que sou a Super-Mulher.

  Enfim, a parte boa é que a este ritmo vai haver muitas e boas opiniões em Abril no blogue e já me dou por feliz se conseguir pelo menos actualizar isso.

  Quanto às comprinhas deste mês, não foram muitas mas foram preciosas e as leituras trouxeram-me sequelas e continuações de arrasar o meu pobre coração impressionável. Com isso, estou super hiper mega feliz.



Aquisições

 Cress, Marissa Meyer
Segredos de Uma Condessa Respeitável, Lecia Cornwall
Finalmente Cress!! Foi com muito entusiasmo que vi este menino ser publicado e digo-vos já que superou, e muito, as expectativas que tinha para ele. Vai ser uma das próximas (muitas) opiniões de Abril. Quanto ao livro de Lecia, estou curiosa e bem, é romance histórico por isso é pouco provável que não goste. Obrigada à parceira Planeta por estas ofertas.

 Só se Ama Uma Vez, Johanna Lindsey
Incontrolável, Sylvia Day
Vocês não sabem mas eu já tinha lido este livro da Johanna há uns bons anos e a minha opinião depois da releitura mantêm-se: é bom, bom, bom! Não vos consigo explicar o meu entusiamo por ver esta senhora e esta série a serem finalmente publicados em Portugal. Obrigada ASA! E, mais uma vez, a Sylvia não desilude. Oferta da Quinta Essência, este livro confirma que gosto desta senhora a escrever históricos. Qual Gideon qual quê!

 Uma Nova Esperança, Colleen Hoover
Esta oferta da Topseller vem confirmar que afinal gosto de segundos volumes que são a perpectiva de outra pessoa sobre a mesma história. Mas só se forem escritos pela Colleen! E não, não vai ser menos doloroso, de todo! Acho que ainda foi pior, num bom sentido claro...

 Abandon, Meg Cabot
Sapphire Blue, Kerstin Gier
O livro da Meg foi-me trazido pela mãe de Londres e confesso que já tinha muitas, muitas saudades desta autora que marcou a minha adolescência. Quanto ao Sapphire Blue, gostei muito do Rubi, que li o mês passado, e estou desejosa de ver se esta sequela vai corresponder ao que espero dela.

 Lady Thief, A.C. Gaughen
A Wicked Thing, Rhiannon Thomas
The Winner's Crime, Marie Rutkoski
Depois de Scarlet se ter demonstrado a preciosidade que é e, com o final mesmo aí a chegar, eu precisava do Lady Thief como preciso de água e ar, e essas coisas todas. O mesmo se passa com a sequela do The Winner's Curse. Eu precisava deste livro mas, ao mesmo tempo, tenho medo, muito medo do que aí vem porque só daqui um ano vou saber como isto acaba e sei que a Marie não vai ser meiguinha, de todo. Quanto ao A Wicked Thing, não sou uma grande fã de A Bela Adormecida mas há algo neste livro que me puxa. Espero não me arrepender de o ter comprado.

The Bridgertons: Happily Ever After, Julia Quinn
Acompanhado dos seus irmãos (ele está a tapar o A Bela e o Vilão), este livro não será lido em breve mas sei que quando ler o último livro dos Bridgertons vou precisar de o ter à mão de semear, por isso cá está ele. Para quem não sabe, é um livro que reúne segundos epílogos de toda a série e ainda tem um conto sobre a Violet.



Swag

Pelo segundo ano consecutivo, cá está um bookplate pela senhora que mais adoro à face da Terra! Espero que a SdE se mexa a publicar o Written in Red porque estou a morrer de saudades das histórias da magnífica Anne.



O Melhor do Mês
Vai ser a próxima opinião a ser publicada aqui no blogue e, sem qualquer dúvida, não só uma das melhores sequelas de sempre, como um dos melhores livros de sempre! Laini Taylor é uma autora extraordinária e única que ultrapassa qualquer barreira de género ou faixa etária.




As Outras Opiniões...

Gata Branca, Holly Black
- Um livro sobre magia e vigarices que acabou por se revelar muito mais do que esperava.

- Apesar de preferir o rumo narrativo do livro anterior, este acabou por cimentar a posição de Riordan como um excelente contador de histórias.

A Educação de Felicity, Marion Chesney
- Este pequeno romance exala tradicionalismo mas surpreende pela dose de humor que lhe encontrámos. Não é pelo romance que o recomendo, mas pelas suas excêntricas e fantásticas personagens secundárias, que valem cada minuto passado em volta deste livro.

Rubi, Kerstin Gier
- Uma surpresa muito bem-vinda, este livro é muito introdutório mas, também é, uma caixinha de surpresas demasiado irresistível.

Ignite, Sara B. Larson
- A surpresa menos esperada mas que foi um dos pontos altos do mês. Muito superior ao seu antecessor, este livro vem confirmar que há muito talento nesta autora e que ela está, finalmente, a aprender a usá-lo.



E...

A Rainha Manda... *Scarlet*

Resultados dos Passatempos *São Valentim com a Quinta Essência* e *Cress*




Próximas Opiniões